“Bônus” que podem contribuir para a IF…

   Dentro do plano traçado para atingir (e principalmente manter) a independência financeira, levo em consideração o patrimônio que terei atingido em Maio de 2019 além dos reinvestimentos necessários para que a inflação não destrua esse patrimônio a ponto de eu chegar aos 90 anos passando necessidades. Pretendo garantir a perpetuidade da IF através do controle minucioso dos gastos e dos reinvestimentos necessários para ao menos manter o poder de compra da renda passiva ao longo dos anos, mas dentro desse planejamento tenho dois “bonus” que prefiro não contabilizar, o primeiro “bônus” é a possibilidade de receber herança (estou batendo na madeira ao digitar isso), já o segundo é a possibilidade de ganhar uma ação trabalhista que já se arrasta a mais de meia década na justiça brasileira.





   Faço todas as contas considerando que não receberei um único centavo de herança e que não verei a cor do dinheiro desse processo trabalhista. No primeiro caso esse é um dinheiro que realmente eu não quero ver, gostaria que meus pais vivessem até os 120 anos pelo menos e que desfrutassem de todo o patrimônio acumulado por eles até o último centavo sem deixar nada pra mim, eles já investiram tanto nos filhos então nada mais justo aproveitarem ao máximo o restante da vida que possuem pela frente. Na verdade eu ainda tenho até uma avó viva que possui dois bons imóveis e que serão divididos entre minha mãe e meu tio, posteriormente essa metade seria dividida entre eu e minha irmã juntamente com mais um imóvel próprio que meus pais deixaram para trás ao sairem do Brasil para morar em Portugal.

   Meu pai insiste em transferir o imóvel para o nosso nome (meu e da minha irmã) ainda em vida para evitar gastos com inventário, eu não entendo bem disso mas fico sempre postergando essa transferência porque na verdade eu gostaria mesmo é que ele vendesse esse imóvel para aproveitar a vida, sempre digo para ele que se depender de mim não precisa deixar nada de herança porque eu me viro sozinho. Mas não me parece que essa será a situações que irei encontrar, a não ser que o governo brasileiro quebre e pare de pagar a aposentadoria dos funcionários públicos (sim, meu pai é funcionário público aposentado) ele provavelmente nunca terá que vender os imóveis para sobreviver e por isso é possível que eu herde uma parte, oque irá certamente ajudar assegurar a perpetuidade do patrimônio frente à inflação já que em nenhum momento considerei que irei receber qualquer tipo de herança.

   Já o processo trabalhista que se arrasta a mais de cinco anos é sim um dinheiro que será muito bem-vindo, trabalhei por quase uma década para uma empresa dominada por pilantras e que sempre se aproveitaram de brechas na lei para tirar proveito dos subordinados para extrair o máximo de produtividade com o menor custo possível. Não tenho pressa em receber esse valor uma vez que a indenização caso eu venha a receber, está sendo corrigida pela taxa selic e cada dia que passa a dívida só cresce. Caso algum dia realmente eu receba esse dinheiro vai ser uma data para se comemorar, o valor não é de deixar ninguém milionário mas com certeza seria a certeza que falta para eu conseguir perpetuar o poder de compra da renda passiva.

   Parece muito tentador colocar esses dois “ativos” nas contas de renda passiva futura mas prefiro ser conservador e simplesmente contar com os reinvestimentos para vencer a inflação, caso receba alguma herança ou venha ganhar a causa trabalhista serão como pequenos “bonus” na jornada rumo à IF. E você? Conta com algum “ativo” futuro que irá lhe ajudar na conquista ou perpetuação da IF?


Sr.IF365