“FY Money”, ajuda ou atrapalha na busca pela IF?

   Para quem não sabe “FY Money” é aquela quantia de dinheiro que lhe permite literalmente “ligar o foda-se” no trabalho. Ou seja, você possui o suficiente para viver sem depender de um emprego que odeia, não te dá mais prazer ou então gerido por pessoas abomináveis que consequentemente tornam a sua vida profissional um inferno. Se identificou com a descrição acima? Pois bem, você não está sozinho!





   Imagino que assim como eu você suporta tudo isso porque precisa do dinheiro, seja porque talvez deixou seu estilo de vida inflacionar ou então porque está em busca da independência financeira a curto e médio prazo.
   Para alguns “FY Money” é uma quantia grande de dinheiro no banco, já para outros é ter uma renda passiva constante e que supre suas necessidades básicas mensais, seja qual for seu objetivo final relativo à independência financeira e aposentadoria antecipada obrigatoriamente um dia você se dará conta que já possui o suficiente para “ligar o foda-se”. Mas isso ajuda ou atrapalha na busca da IF?

  Já suportei muita coisa nos meus 22 anos de carreira profissional por simplesmente ter que pagar as contas no final do mês, caso queira conhecer melhor a história do Sr IF365 clique AQUI. Hoje posso dizer que trabalho exclusivamente para garantir e criar uma “gordura” antes de começar a viver minha IF em Maio de 2019. Mas ao contrário doque ouço em podcasts ou leio em blogs sobre independência financeira, ver o “FY Money” na minha conta me trouxe pouco ou nenhum alívio no dia a dia. Neste exato momento poderia pedir as contas e facilmente ficar anos ou décadas sem trabalhar que não morreria de fome ou passaria frio na rua, porém por estar determinado a atingir um patamar de IF que seja mais doque simplesmente sobreviver e sim poder viajar ou praticar atividades prazeirosas e que exijam dinheiro, não consigo jogar a toalha e largar tudo agora. Confesso que não é por falta de vontade, várias vezes nas últimas semanas senti o impulso de pegar o carro, ir até o setor de RH da empresa e pedir as contas. Mas quando paro para raciocinar e colocar tudo na balança, chego a conclusão que ainda não é a hora.





   Segundo minha planilha a renda passiva mensal que eu tiraria de todos os meus investimento seria hoje R$11.718,37. Mais que suficiente para um cara solteiro como eu viver uma vida normal, principalmente considerando que pretendo morar na Indonésia onde o custo de vida é menor que o do Brasil e a moeda mais fraca que o Real, você pode ler sobre isso no meu post “Diminua seu custo de vida morando no exterior…”.
   Mas como disse colocando tudo na balança, largar meu emprego agora me traria mais problemas doque soluções, primeiro que para deixar meu atual emprego antes de Março/2019 teria que devolver em torno de 15 mil reais relativos a investimentos que a empresa fez no meu treinamento, esse valor é abatido mensalmente e chegará a zero no próximo ano, apesar de não ser um valor absurdo dói no bolso ver isso descontado da minha rescisão. Outro motivo é que se eu pedisse demissão hoje ainda seria obrigado a trabalhar mais 3 meses independente de eu querer ou não, aqui no Oriente Médio você só pode deixar o país com autorização do empregador e caso não cumpra aviso prévio e quite todas as dívidas é impossível conseguir tal autorização. Dessa forma quando estou em um dia ruim sei que pedir demissão não irá me desobrigar a ir trabalhar no dia seguinte, então não sinto alivio nenhum ao me imaginar entrando na sala do RH e pedindo demissão. Por último, deixar o emprego que abomino e suga minha saúde física e mental só iria me colocar em uma posição mais distante da IF que almejo, mesmo tendo a certeza que em poucos meses conseguiria outro emprego parecido o tempo perdido entre mudar de país, ser treinado e finalmente começar a ser pago adiaria minha IF em no mínimo mais 1 ano. Então respiro fundo e toco a bola pra frente olhando diariamente a contagem regressiva para minha IF.

   Imagino que você se pergunta o porque não tento pegar mais leve no trabalho, tipo ao invés de pedir demissão ligar o foda-se e faltar mais ao serviço ou então dizer para o chefe que não vai mais trabalhar tanto e que se ele quiser que você continue por lá terá que “aliviar a barra" ou você pede demissão. Vejo isso dar certo em muitos casos de sucesso quando a pessoa atinge a IF ou mesmo “FY Money”, porém mais uma vez me considero um caso excepcional, tanto a minha atividade como a empresa em que trabalho são altamente reguladas e não permitem fazer absolutamente nada fora dos procedimentos, mesmo meu chefe para me punir tem que seguir um processo e um “flow chart” de punição, juro que não estou brincando! Caso cometa algum deslize, esse meu erro será classificado e seguirá um procedimento que vai dizer qual tipo de punição devo receber. Para faltar ao trabalho existe um procedimento que permite analisar quando foi que eu faltei, caso constatem que eu sigo um padrão de faltar aos finais de semana a punição é diferente de caso eu faltasse em dias aleatórios. A loucura chega a esse nível! Então simplesmente não existe margem de manobra nenhuma para eu pedir para trabalhar menos ou em condições diferentes que os outros empregados, mesmo tendo o “FY Money”.

    Enfim, acho que as vezes o “FY Money” mais me atrapalha doque ajuda uma vez que a desmotivação para continuar a viver essa vida só por causa do dinheiro é zero. Esse gás final rumo a IF está cobrando um preço altíssimo da minha saúde física e mental, espero poder recuperar o tempo e saúde que perdi quando finalmente estiver IF, mas o risco de ter um piripaque antes de Maio/2019 é real e me assombra todos os dias...

Sr. IF365

Comentários