Catalisadores da busca pela IF…

    Outro dia me peguei pensando quais foram os catalisadores que me fizeram buscar a IF, em outras palavras oque foi que deu de tão “errado” na minha vida a ponto de me forçar a trilhar o caminho da independência financeira e principalmente da aposentadoria antecipada?


   Nós humanos somos extremamente acomodados e não poderia ser diferente, se estamos em uma situação que nos é favorável porque deveríamos nos dar ao trabalho de sair dessa zona de conforto? Somos muito mais motivados pela dor doque pelo prazer, sonhamos com dias melhores mas quase nunca estamos dispostos a sofrer as dores do presente para chegarmos lá. São pouquíssimas as pessoas a minha volta que pensam em se aposentar cedo, algumas nem pensam que um dia precisarão se aposentar! Então qual seria a diferença entre eu e essas pessoas?






   Por incrível que pareça ao buscar minha aposentadoria antecipada eu me julgo de certa forma inferior a essas pessoas que nem se quer consideram que precisarão se aposentar um dia, isso porque a grande diferença está na satisfação que elas tem com o presente. Sinto muita culpa por não aceitar meu presente, tenho uma carreira que foi muito além doque eu poderia imaginar um dia, conheci o mundo viajando à trabalho e se eu estivesse disposto a gastar tudo que ganho todo mês teria uma vida repleta de bens materiais que na teoria deveriam trazer felicidade sem limites. Porém por motivos que tentarei explicar abaixo simplesmente não aceito o caminho que as minhas escolhas me levaram.


   Como disse a maior diferença entre eu que busco FIRE e as pessoas a minha volta que nem imaginam que essa possibilidade existe está na satisfação com a atual vida que levam, algumas aparentemente levam sim uma vida feliz do jeito que está mas a maioria parece mais “anestesiada” e conformada com a situação em que se encontram e simplesmente se convenceram que tudo transcorre dentro da normalidade esperada. Imaginam que o trabalho atual não é tão ruim e que sempre irão poder trabalhar para sustentar o padrão de vida que levam, podem gastar tudo que ganham hoje já que “mês que vem tem mais”. Se esquecem que problemas de saúde acontecem, que o tempo é implacável e a terceira idade irá chegar um dia… Talvez esse seja um dos grandes catalisadores que me impulsionaram à buscar a IF, mas com certeza não foi o único.


   Fora a minha insatisfação pessoal com o trabalho outros fatos importantes foram acontecendo ao longo da minha vida que me abriram os olhos para a possibilidade de viver um futuro que eu nem poderia imaginar que existisse, o mais relevante foi ver como a saúde se degradou conforme minha carreira progrediu, olhando para trás vejo exatamente como o ápice das minhas conquistas profissionais coincidem exatamente com o aparecimento das dores inexplicáveis que sinto pelo corpo. Foi o período de maior stress da minha vida onde tive inicialmente enormes decepções e frustrações mas que no final depois de muita perseverança cheguei onde queria, dei minha última gota de suor para atingir meus objetivos e quando finalmente cheguei lá pude relaxar um pouco notei as sequelas de tanto stress mental que obriguei o corpo a passar, nunca mais fui o mesmo depois daquele ano, isso foi em 2011.

   Outro catalisador importante que me impulsiona rumo à IF é a total falta de controle que tenho sobre a minha vida pessoal, trabalho em regime de escala e ao final de cada mês minha empresa determina quando, onde e como irei trabalhar no mês seguinte. Nesse processo não se respeita feriados, finais de semana, dia, noite, natal, ano novo, aniversários, confraternizações familiares, aniversários de casamento, etc… vivo a mais de duas décadas às margens da sociedade. Estou acordado enquanto todos dormem, durmo enquanto todos estão acordados, perdi a conta de quantos natais já passei em um quarto de hotel longe da família ou quantas pessoas já decepcionei ao não poder comparecer para celebrar aquela data especial. Minha semana só possui dois dias, aqueles que eu trabalho e os que estou de folga, não sei oque é segunda, sexta, quarta, domingo, etc… Me sinto cansado de ter que viver como um alienígena no meu próprio planeta!

   Além dos catalisadores envolvendo insatisfação profissional generalizada, saúde comprometida e a total impossibilidade de viver uma vida normal, considero que a minha mais absoluta recusa em receber ordens contribuiu e muito para a busca pela IF. Sou péssimo em fazer oque me mandam, principalmente quando não concordo como as coisas devem ser feitas!rs E nesse sentido não poderia ter escolhido profissão pior, absolutamente tudo no meu trabalho exige procedimentos, regras e supervisão. Apesar de estar em uma posição de liderança respondo a toda uma hierarquia que dita como o trabalho deve ser executado, regras mudam todos os dias e sou avaliado de forma constante para não dizer que diariamente. Isso tira toda a satisfação que eu poderia ter com a minha profissão, me sinto uma “máquina” que executa a tarefa conforme foi programada e que se algo não foi feito conforme o esperado o problema deve ser corrigido imediatamente. Para piorar essa “máquina” foi utilizada durante anos no seu limite máximo, todos nós sabemos oque acontece com máquinas que operam desse jeito, simplesmente quebram um dia!


   Por último mas não menos importante, cheguei aos 40 anos de idade e os homens na minha família costumam viver até próximo dos 75 anos, ou seja já vivi mais da metade do meu tempo sobre essa terra. E oque foi que eu fiz com o meu tempo? Simplesmente desperdicei a maior parte dele enriquecendo outras pessoas e permitindo que elas vivam uma vida plena enquanto o escravo na base da pirâmide sustenta tudo isso. Meu último emprego no Brasil foi em uma empresa em que o dono herdou o negócio do pai, ele é um conhecido playboy que vive viajando e em festas globais nunca realmente trabalhou na vida e quando finalmente cansou de brincar de empresário vendeu parte do negócio para um grupo estrangeiro. Todas as vezes que via fotos dele na seção “socialite” dos jornais era como se aquilo fosse um soco no estômago, o cara vivendo uma vida fácil e prazeirosa as custas do meu precioso tempo de vida que eu troco por dinheiro. Sei que posso parecer comunista, mas quero deixar claro que está não é a minha posição, se não tive a sorte de herdar a empresa do pai então vou trilhar o caminho da IF e recomprar a liberdade perdida para o trabalho.


   Como disse no início do post acho que esses foram os pontos principais que deram “errado” na minha vida, em sua absoluta maioria são frutos das minha próprias escolhas e por isso não aponto o dedo para ninguém, sou o único responsável pelo caminho que decidi trilhar e agora quero mudar esse caminho na esperança de chegar em lugar melhor no futuro.


Sr. IF365

Comentários