Missão Bali - Parte II

   De volta à minha realidade, foram 7 dias sentindo o gostinho da IF com surpresas boas e outras ruins. Confesso que nos primeiros dias achei que aquele lugar não era pra mim, ruas apertadas, scooters para todos os lados e infra estrutura meio que precária, ou seja não é Miami! Mas aos poucos fui “absorvendo” a essência do lugar e passei a apreciar a possibilidade de acordar cedo, tomar um café da manhã reforçado a base de vegetais, arroz e frutas por apenas R$3, fico imaginando se tivesse cozinhado eu mesmo a refeição o quanto me custaria. Logo depois ter tempo para navegar na internet antes de dar uma boa caminhada na praia. Como disse no post anterior caso seja surfista Canggu será o seu paraíso na terra, eu mesmo já dei o braço a torcer e vou ter que reaprender a surfar quando me mudar para lá, não tem como morar naquele local e não praticar um esporte aquático, a energia da ilha é contagiante.

Café da manhã saudável e barato



   Mesmo não tendo me animado em alugar uma prancha de surf o simples fato de ter saído da rotina estressante que vivo no dia a dia fez toda a diferença na saúde física e mental, acordava com energia e disposição para tocar a vida, como também não aluguei uma scooter acabei explorando a vizinhança a pé mesmo. No fim do dia estava acabado, mas de uma maneira completamente diferente do acabado que sinto quando o trabalho suga todas as minha energias. A alimentação foi um capítulo a parte, o local é lotado de restaurantes com comida natural, vegan e vegetariana. Não sou adepto de nenhuma dessas tribos mas seja por causa da comida ou por causa do alívio no stress simplesmente não tive gastrite um único dia, mesmo abusando da cervejinha na praia e do vinho no jantar.

   Pouco antes de deixar Bali decidimos alugar um carro para explorar melhor a ilha e talvez achar algum lugar mais agradável que Canggu, passamos o dia rodando no meio do trânsito e da agitação da cidade grande, só para descobrir que oque mais queríamos era voltar o mais rápido possível para Canggu e nunca mais sair de lá. Hoje vejo como a vida da cidade grande me ajudou a chegar à IF mas também cobrou um preço altíssimo por isso, ainda não sei dizer se valeu a pena ou não mas espero que eu não tenha atingido um ponto sem retorno onde danifiquei minha saúde de tal forma que mesmo fugindo da corrida dos ratos não irei recuperar a saúde nunca mais. Meio que como forçar o motor do carro por anos a fio e depois querer q ele funcione como novo só pq vc parou de esmerilha-lo.




Apreciando o por do sol em Canggu



EDITADO
  ****** A “Missão Bali” teve objetivos bem definidos e foi mais que uma viagem de férias, para começar não ficamos em hotel e alugamos um pequeno apartamento, depois fomos a caça de uma vizinhança adequada para nos estabelecermos e chegamos a conclusão que o melhor lugar para ficar é proximo das ruas principais. Infelizmente descobrimos que o valor do aluguel vai ser um pouco mais salgado doque imaginamos inicialmente, trabalhávamos como uma previsão de gastar R$3.000,00 por mês porém já vimos que será necessário desembolsar R$4.000,00 em aluguel. Vale notar também que para alugar qualquer imóvel por lá paga-se o valor anual adiantado, pesado para o bolso. Mesmo assim ficou decidido que não fecharemos nada por internet, quando chegar a hora da mudança alugaremos um local provisório por um mês e iremos procurar algo definitivo pessoalmente com a ajuda de um corretor de imóveis local. ******


  Talvez eu não tenha feito o dever de casa corretamente e os preços praticados na imobiliárias está um pouco acima da realidade em se tratando de aluguel. Hoje segui o conselho de uma pessoa que mora lá e me inscrevi na página da comunidade local no Facebook específica para quem procura alugar imóvel na região. Os preços para se alugar uma casa são bem menores dos que eu vi na imobiliária, creio que terei que ir mais a fundo no assunto agora que tenho uma boa noção do lugar e já dá para saber qual vizinhança é boa e qual é ruim.

EDITADO

   Outro objetivo da missão era ir ao supermercado e fazer uma pesquisa de preços detalhada, anotei o preço de tudo que costumo consumir e depois comparei com os preços dos supermercados do atual país onde moro, cheguei a conclusão que vou economizar 30% nos gastos com alimentação, hoje gasto em média R$1.500 por mês em compras de supermercado e deve cair para algo em torno de R$ 1.050, já é uma economia considerável.

   Enfim, a viagem foi bem produtiva, me deixou mais animado ainda para jogar tudo para o alto o mais rápido possível e começar a viver a vida de verdade. Já retornei ao trabalho ontem e tudo voltou ao “normal”, como de costume dormindo mal, pegando uma gripe, dores pelo corpo e o estômago já está querendo reclamar da gastrite. É nítida a diferença que faz uma mudança no estilo de vida, espero conseguir me arrastar até a linha de chegada sem ter um “piripaque” antes de poder desfrutar ao menos algumas décadas da IF, vou ficar bem chateado se não puder pelo menos viver os mesmos 24 anos os quais me matei no trabalho para atingir a IF.

  Sr IF365