Vou me aposentar jovem… será mesmo?

   Talvez você assim como eu tenha planos de atingir FIRE (Independência Financeira e Aposentadoria Antecipada) antes de ficar muito velho para ainda poder aproveitar a vida, não dorme a noite de tanta ansiedade para fugir da corrida dos ratos enquanto é jovem. Como todo bom integrante da comunidade FIRE fez as contas e sabe que irá atingir a Independência Financeira aos 40 anos, talvez 35 se o mercado ajudar! Basta trabalhar duro até lá, fazer de tudo para conseguir aquela promoção, hora extra ou mesmo vender as férias para fazer um aporte mais volumoso no fim do ano. Todas as planilhas indicam que você chegará lá ainda jovem, mas será mesmo?





   Esquecemos que o corpo humano é uma “máquina” em constante movimento, e muito mais importante que a idade cronológica é a sua idade biológica. Todos os seus cálculos indicam que você irá atingir a IF antes dos 40 anos de idade cronológica mas esquece que as planilhas não levam em conta sua idade biológica, se matando no serviço para conseguir aportar mais irá com certeza encurtar seu caminho rumo a IF porém também irá encurtar sua vida devido ao desgaste a mais que a “máquina” irá sofrer. De que adianta ter 35 anos de idade se o seu corpo reage como se você já tivesse 50 ou 60 anos? Cheio de dores pelo corpo, fora de forma e acima do peso. Vive doente e gastando fortunas em medicamentos para gastrite, dor de cabeça, relaxante muscular, etc… coisa de velho mesmo.

   O jogo da IF é complicado, se matar de trabalhar agora para aproveitar a vida no futuro ou reduzir o ritmo hoje para atingir os objetivos bem mais lá na frente porém em condições físicas melhores. Obviamente conseguir viver de forma mais harmoniosa e em equilíbrio seria a melhor saída, mas nos dias de hoje muitas profissões não oferecem essa possibilidade, no meu caso o empregador fez um enorme investimento em treinamentos e quer que eu produza o máximo dentro do menor espaço de tempo possível, mesmo que eu queira reduzir o ritmo não me é oferecida essa possibilidade. Ou peço demissão e fico sem salário ou continuo aguentando o tranco até o fim e garantindo a grana dos aportes que me levarão à IF.

   Já foi discutido como trabalho nada mais é doque uma troca de tempo por dinheiro, você vende seu tempo e ganha uma compensação financeira por ele. Porém o grande engano é acharmos que ainda temos 50 ou 60 anos para converter em dinheiro quando na verdade tudo vai depender de como você gerencia a sua “máquina”. Se ficar forçando a barra tentando obter o máximo de rendimentos pelo seu tempo vai acabar na verdade diminuindo a quantidade de anos que teria para vender.

   A coisa fica ainda mais complexa quando colocamos na balança a possibilidade de penalizarmos nosso estilo de vida hoje esperando que após a aposentaria iremos recuperar toda a saúde perdida e compensar de alguma forma décadas negligenciando nosso corpo. Aceitamos viver sob stress, acima do peso, sem se exercitar ou se alimentando de comidas prontas por pura falta de tempo para cuidar da máquina. Mesmo recebendo sinais claros do organismo que algo está muito errado, insistimos nesse estilo de vida apostando que após a aposentaria tudo irá se resolver. Mas será que vai mesmo? Será que não forçamos tanto a “máquina” que talvez seja tarde de mais para recuperar a saúde perdida. De que adianta se aposentar aos 40 anos se na verdade você está com um corpo de 60? Será que ainda podemos chamar isso de FIRE? Eu até hoje não consegui chegar em uma resposta definitiva, sou do grupo de pessoas que aguenta o hoje com a esperança de dias melhores depois da independência financeira, se estou certo ou errado só o tempo irá dizer.

Sr IF365

Comentários