Como morar de graça…

   Você já parou para analisar quais são seus maiores gastos no dia a dia? Imagino que como toda pessoa comum o primeiro item da lista será moradia, talvez seguido de transporte e alimentação. Caso já seja o feliz proprietário de uma residência (e não tenha ganho o imóvel no pião da casa própria do Silvio Santos) provavelmente esse foi um dos maiores gastos que você já fez na vida. Imagine como seria a sua vida financeira caso não tivesse que arcar com custos de moradia, em outras palavras se você pudesse morar não só de graça mas quem sabe até ao invés de despesa a moradia virasse fonte de renda! Isso não só existe como é chamado nos Estados Unidos de “House Hacking”.





   “House Hacking” é o termo utilizado para quem consegue burlar o sistema convencional de moradia, assim como um hacker consegue burlar o sistema de um computador a pessoa adepta do “House Hacking” ao invés de viver de maneira convencional pagando para morar, burla o sistema e vive de graça ou em alguns casos até consegue que a moradia vire uma fonte de renda. Existem várias maneiras de “burlar o sistema” de moradia e eu tenho certeza absoluta que você já adotou ao menos uma delas em algum momento da sua vida.

   A primeira forma de “House Hacking” é aquela em que o indivíduo mora de graça com os pais (ou parente), quando jovem é uma situação aceitável mas conforme crescemos a expectativa é a de que deixemos o “ninho” o quanto antes. Alguns mais “espertos” continuam a morar com os pais mesmo já tendo uma carreira bem estabelecida e acabam tento a possibilidade de zerar os gastos com moradia, essa é uma grande chance de fazer o patrimônio crescer rapidamente mas vejo com ressalvas essa alternativa. Chamaria mais de “House Hacking Nutella” uma vez que na verdade você está drenando recursos dos seus próprios pais (ou parente) ao morar de graça e sem colaborar para manter a casa. Uma alternativa mais aceitável seria pagar aluguel para eles e ajudar nas despesas da casa, mas talvez aí eles se sintam culpados por cobrar aluguel dos próprios filhos (ou parente), sem contar outros inconvenientes de ser um adulto morando na casa dos outros.

   A segunda forma de “House Hacking” é dividir moradia com outra pessoa e obviamente os custos envolvidos. Nesse caso os gastos podem cair pela metade ou mesmo até quatro vezes do valor comparado ao se morar sozinho dependendo do número de pessoas envolvidas. É uma alternativa interessante quando se é jovem e sem família, mas mesmo assim esbarra em inconvenientes quando surgem desentendimentos entre você e seus colegas de moradia.

   A terceira forma de “House Hacking” é a mais interessante pois dependendo de como você conseguiu estrutura-la pode não só zerar os seus gastos com moradia mas também proporcionar uma renda passiva, estou falando a respeito da pessoa adquirir uma propriedade “multi-familiar”. Imagine que você comprou um predinho com quatro unidades (infelizmente esse tipo de imóvel é raro no Brasil mas muito comum nos EUA), você irá morar em uma das unidades e alugar as outras três. Talvez você nem tenha quitado o imóvel mas o valor recebido dos três alugueis é suficiente para bancar as parcelas do financiamento, além disso você ainda estará morando de graça! A escolha de um imóvel desses tem que ser feita com muitíssimo cuidado pois praticamente estamos falando de um investimento e não da casa própria. Depois que você quitar o financiamento do imóvel tem a opção de se mudar para outro repetindo o processo descrito acima ou então fazendo igual ao próximo tipo de “House Hacking” abaixo.


Quadriplex americando, more em uma unidade e alugue as outras três.




   A quarta forma de “House Hacking” é muito parecida com a anterior porém dessa vez a pessoa adquire um imóvel para alugar e com o dinheiro do aluguel paga o aluguel de um outro imóvel para morar, chamo essa modalidade de “House Hacking seis por meia dúzia”. Enquanto que na opção anterior você está usando o valor do aluguel para efetivamente comprar o imóvel caso tenha financiado, neste caso aqui o dinheiro está simplesmente migrando do seu imóvel para a mão do locador onde você mora. (Existe ainda um meio termo entre as formas 3 e 4 de “House Hacking” onde você aluga o primeiro imóvel e usa o dinheiro para pagar as parcelar do segundo imóvel onde reside)
A última opção de “House Hacking” é a que eu me encontro hoje, nessa modalidade o empregador paga pela moradia. Sei que é bastante incomum isso no Brasil mas no exterior é normal que o pacote oferecido pelas empresas inclua moradia, normalmente lugares inóspitos oferecem esse tipo de benefícios para atrair mão de obra especializada. Já no Brasil acredito que tais benefícios estejam reservados para políticos e pessoal do alto escalão de empresas privadas.

   Imagine suas finanças sem os gastos de moradia, como isso afetaria sua independência financeira? A vida seria muito mais fácil, não? Agora imagine se além de não ter esse gasto a moradia virasse fonte de renda como no terceiro exemplo. Acho que a maioria de nós subestima o impacto dos custos com moradia nos planos para independência financeira, hoje tendo zero gastos com aluguel ou parcela de financiamento da casa própria vejo o poder dos aportes no crescimento patrimonial, me arrependo muito de não ter conhecido “House Hacking” mais cedo, caso tivesse com certeza teria adquirido uma unidade “multi-familiar” ao invés do “elefante branco” que é a casa que construi para morar. No momento não tenho planos de adquirir mais imóveis (na verdade quero me desfazer dele) porém não descarto no futuro arriscar me envolver com o terceiro tipo de “House Hacking” quando decidir me estabelecer definitivamente em um local.

   Como disse no começo, moradia é provavelmente o maior gasto no orçamento de uma pessoa normal seguido por transporte, “House Hacking” está diretamente relacionado com transporte uma vez que a pessoa sempre terá a opção de se estabelecer perto do emprego, já imaginou quanto você não economizaria caso pudesse ir à pé ou de bike ao trabalho? Mas isso já é assunto para outro post….



SrIF365

Comentários