Como escolher uma profissão IF...

   Imagino que já saltou aos olhos de alguns leitores que minha renda mensal é elevada para os padrões brasileiros, e isso me permite fazer grandes aportes rumo à independência financeira. Aí a pessoa inevitávelmente pensa “com esse salário até eu conquisto a IF”, mas ninguém sabe o preço que pago para conseguir tal renda, como foi difícil chegar aqui, suor, lágrimas, blá, blá, blá…. quem eu estou querendo enganar com essa conversa mole? A IF está realmente caindo no meu colo, basta ter paciência e não fazer uma burrada muito grande (do tipo colocar tudo em crypto). Como li uma vez em um comentário no blog do AA40 “médico tem a obrigação de ser IF” e essa é a mais pura verdade, se você tem um bom salário é obrigação sua ao menos acumular o suficiente para ter uma aposentadoria digna caso FIRE não seja a sua praia. E é justamente nesse ponto que eu quero bater, sem perceber fiz algo que nos padrões da comunidade da Independência Financeira e Aposentadoria Antecipada é a grande sacada para se conquistar a IF, escolhi uma profissão FIRE.






   Fui criado por uma família de “gênios” onde não só meus pais como todos os meus tios estudaram em universidades públicas renomadas, alguns fizeram USP (na época que era A USP) e meu pai fez ITA (para bom entendedor essas três letrinhas bastam), já eu no auge dos meus 16 anos decidi que ao invés de entrar em uma faculdade queria ser piloto de avião, aos olhos de toda a minha família, alguns já com Mestrado concluído, foi como se eu tivesse dito que iria seguir carreira circense, na época não existia curso superior de aviação e bastava o segundo grau completo, diziam que era absurdo não cursar um faculdade, que se eu fosse preso não teria direito a cela especial, etc... Mesmo assim lá fui eu atrás do meu sonho, com segundo grau “compReto”, morrendo de medo de ser preso e colocado em uma cela comum, enquanto isso meus amigos de escola seguiam os sonhos deles através de cursos universitários. E foi aí que eu digo que sem querer fiz algo que nos padrões da comunidade FIRE é a grande sacada para se conquistar a IF, fiz um curso que me permitiu rapidamente entrar no mercado de trabalho. Em pouco menos de um ano e meio eu já estava trabalhando no meu primeiro emprego dentro de uma área com enormes possibilidades de crescimento salarial. Enquanto isso meus amigos gastavam fortunas cursando o segundo ano de medicina, direito, administração e até biologia…

   Cada um tem seus sonhos na vida mas já faz muito tempo que ter diploma de curso superior não é necessariamente sinônimo de sucesso profissional, eu acredito piamente que um jovem deva escolher um curso que lhe permita prontamente entrar no mercado de trabalho e começar a ganhar dinheiro o mais rápido possível e em uma área que ofereça possibilidades de crescimento financeiro proporcional ao crescimento profissional, só depois disso cursar uma faculdade caso esteja gostando da área de atuação escolhida. Quem não conhece alguém que desistiu de um curso superior estando no último ano antes da graduação? Imagina o prejuízo não só financeiro mas também associado ao tempo perdido, não raro essa mesma pessoa irá cursar uma nova faculdade iniciando praticamente do zero e pior, sem a certeza de que é aquilo que quer fazer da vida.

   Apesar de pouco valorizadas, profissões técnicas podem ser altamente rentáveis uma vez que os cursos são “rápidos” e você começa a produzir bem mais cedo do que um profissional que se enveredou pelo caminho dos universitários. Foi assim que aconteceu comigo, com 20 anos eu já tinha conseguido meu primeiro emprego em uma empresa aérea pequena (lógico que sonhava com a Varig), o salário inicial era tão bom que me permitiu fazer a c@g@d@ de comprar uma S10 zero financiada, não adianta jovem com dinheiro é uma mula!rs Mesmo assim acredito que por ter começado cedo obtive uma grande vantagem inicial quando comparado aos meus colegas de escola que seguiram carreiras mais convencionais. No geral todos estão bem de vida mas trabalham bastante, são médicos, diretores de multinacionais, empresários e advogados… não ouço nenhum deles falar sobre independência financeira ou aposentadoria antecipada, seja porque amam a profissão ou porque simplesmente deixaram o padrão de vida inflacionar e nem sonham em parar, de um jeito ou de outro sou a prova viva que cursar uma faculdade não é exigência para chegar à IF, pelo contrário talvez seja esse o grande segredo.

   “Mas SrIF365 e meus sonhos? Todo mundo sempre me disse para eu seguir meus sonhos ou serei infeliz pelo resto da vida…” Será mesmo meu caro leitor? Eu segui os meus e hoje digo categoricamente que a melhor coisa da minha profissão é que ela me paga o suficiente para eu poder deixa-la em breve. Já falei sobre isso antes no post "Não escolha um trabalho que você ama… e sim um que lhe trará dinheiro", na minha humilde opinião qualquer carreira que você seguir e virar obrigação irá provavelmente destruir sua paixão por aquela atividade.

   De forma alguma estou condenando curso superior ou dizendo que não vale nada, muito pelo contrário não se pode ser médico sem cursar quase uma década de faculdade, nesse caso o retorno financeiro pode demorar mas virá um dia. Porém certas profissões a gente já sabe que a relação investimento/retorno é péssima, tem hora que eu acredito piamente que uma pessoa que escolhe cursar filosofia ou biologia chegaria à IF mais facilmente seguindo carreira circense!rs


SrIF365


  OBS: Na era do politicamente correto quero deixar claro que não menosprezo nenhuma profissão, apenas analiso friamente a relação investimento/retorno de cada uma. Informo ainda que nenhum filósofo, piloto, administrador, médico, advogado ou biólogo sofreu maus tratos durante a confecção deste post.

Comentários