Independência Financeira “na banguela”…

    Imagine você sentado no banco do motorista de um carro no topo da ladeira e para chegar lá em baixo existem duas opções, engatar a primeira, pisar fundo no acelerador e rapidamente ganhar mais velocidade conforme as trocas de marchas acontecem (como você irá conseguir parar quando chegar ao final do ladeira eu não sei), só sei que para chegar lá você precisou gastar combustível e energia. A segunda opção é deixar o veículo no ponto morto, soltar o freio de mão e a gravidade fará o resto, gradualmente o carro irá ganhar velocidade e apesar de você não ter chegado ao final da ladeira tão rapidamente como no primeiro exemplo, não precisou gastar combustível e energia para chegar lá. Quem sabe até curtiu a “descida” pois como não estava em alta velocidade e concentrado nas trocas de marchas pôde se dar ao luxo de observar a paisagem. Sabia que o caminho rumo à Independência Financeira é idêntico?





   O Sr.IF365 está chegando ao final da ladeira em altíssima velocidade, coloquei o pé no “acelerador dos aportes” e a velocidade é tamanha que não sei se vou conseguir parar no final da rua antes de me destroçar em um muro. Essa minha ânsia em chegar ao final da ladeira consumiu com certeza muito “combustível e energia”, a paisagem rapidamente passa por mim enquanto eu dirijo em alta velocidade, as vezes tento apreciar a paisagem olhando de canto de olho mas logo volto meu foco para a estrada que está a minha frente, qualquer descuido agora pode causar um acidente fatal. Como disse não sei se vou ter freio suficiente para parar antes de atingir o muro que está logo ao final da ladeira, penso comigo “mas que idéia de giríco colocar um muro bem no final da ladeira”, mas a vida é assim.

   Como você já deve ter percebido a viagem rumo à IF não necessariamente precisa ser como a do Sr.IF365, você pode muito bem descer a ladeira “na banguela”, lá fora isso é chamado de Coasting Financial Independence. Esse tipo de IF apesar de ainda pouco comentada no Brasil, é uma alternativa viável para quem não deseja sacrificar anos preciosos de vida nessa corrida maluca em busca da IF. Basicamente tudo que você tem a fazer é aplicar um capital inicial significativo e depois continuar levando sua vida normalmente (trabalhando é claro) sem se preocupar em colocar mais um centavo no projeto de aposentadoria. Uma vez que você fez o “aporte inicial” basta ir curtir uma vida normal de trabalho sem a preocupação e a obsessão de economizar todos os meses.

   Vou dar um exemplo, imagine que você é um profissional de sucesso e que aos 30 anos de idade acumulou um patrimônio de 500 mil reais, valor não muito impossível para a classe média brasileira (ou então pode ser que você tenha recebido uma herança). Esses 500 mil serão colocados em uma aplicação que rende 0,5% ACIMA DA INFLAÇÃO, e desse dia em diante você esquece que esse dinheiro existe. Vai curtir a vida! Daqui pra frente não se preocupe em fazer mais nenhum aporte, pode gastar 100% do seu salário todo mês (imagino que para chegar a 500 mil com apenas 30 anos seu salário não seja ruim). De um jeito ou de outro quando você completar 60 anos de idade terá na conta o EQUIVALENTE* ao patrimônio do Sr. IF365 nos dias atuais. Ou seja com 60 anos de idade você chegou ao mesmo resultado que eu, garantindo uma renda próxima 15 mil por mês e ainda levou uma vida de rei ao longo desses 30 anos podendo se dar ao luxo de gastar todo o seu salário sem a preocupação de fazer novos aportes.
*Vou frisar novamente que nas contas acima não coloquei a inflação para ficar mais fácil de visualizar os valores, o importante é que o dinheiro renda 0,5% acima da inflação.

   Mas então você me pergunta, porque você não optou por esse caminho Sr.IF365? E eu respondo, pelo simples fato de que odeio meu emprego por ele me tirar tudo que é de mais preciso na vida, tempo com a família, liberdade, saúde física e mental. Simplesmente não consigo me ver trabalhando nessa área por mais 20 anos sem ter um problema sério de saúde. Mesmo assim não consigo deixar de imaginar que se deixasse hoje esses 3 milhões aplicados até eu completar 60 anos teria o equivalente a 10 milhões! E ainda a partir de hoje gastaria todo meu salário mês após mês sem nunca mais fazer um aporte, acho que nem saberia onde gastar R$1.500 por dia… isso porque oque mais quero na vida não está à venda em lojas, saúde e liberdade. De que adianta poder gastar todo esse dinheiro se continuarei a ser escravo de um emprego que odeio, me faz infeliz, me separa da minha família e está literalmente me matando lentamente? Como tudo na vida é uma questão de escolha, mas não raramente diferentes caminhos irão leva-lo ao mesmo destino.

   E você, qual caminho escolheria? O de pisar fundo no acelerador ou deixar a IF acontecer "na banguela"? Quantos preciosos anos de vida você estaria disposto a sacrificar para alcançar seus objetivos de independência financeira?


Sr.IF365

Comentários