Insatisfeito com a vida? Que bom!

   Tenho certeza que alguns leitores já repararam no clima pesado que domina a maioria dos meus posts no blog, no geral oque escrevo toma uma conotação bem negativa e algumas pessoas aqui até já tentaram de uma forma ou de outra me alertar para os perigos de se ter uma visão tão pessimista das coisas. Também já li muito a respeito de técnicas de auto-ajuda onde o autor afirma que não existem situações boas ou ruins, tudo depende de como a pessoa encara a situação, infelizmente para minha mente “preto no branco” essa técnica não funciona… situação m#rd@ vai ser sempre situação m#rd@ independentemente se eu conseguir ou não “florir” a minha mente com idéias positivas. Tentar ver o lado positivo das coisas ruins pra mim nada mais é do que distorcer a realidade, pode até apaziguar a angustia que sentimos mas não muda a situação.





   Apesar de odiar meu próprio pessimismo tenho que reconhecer que graças a ele é que eu me enveredei pelo caminho da independência financeira e aposentadoria antecipada. Posso ser chamado de reclamão e insatisfeito com a vida mas se tem uma coisa que não sou é acomodado, quando me encontro em uma situação desconfortável meu cérebro fica trabalhando constantemente para encontrar alternativas e planos para me tirar de tal situação. É um processo cansativo e gerador de ansiedade, não é fácil colocar a cabeça no travesseiro e dormir tranquilamente quando sua mente não para de procurar alternativas para um problema. Hoje definitivamente me encontro em uma das fases mais difíceis da minha vida e meu cérebro não para de buscar alternativas viáveis para me tirar dessa situação, essas ideias até já se refletiram em alguns posts como o “E se eu largar tudo hoje?”.

   Mas antes que você assuma que esse meu comportamento é totalmente destrutivo, gostaria de compartilhar um pouco do ponto de vista dos meus colegas de profissão que estão de certa forma satisfeitos com o trabalho e as consequências para a vida financeira deles. Logicamente não tenho como saber oque se passa dentro da cabeça de alguém, mas quando me reúno com os amigos de profissão a impressão é a de que a maioria está aparentemente satisfeita e conformada com o emprego e estilo de vida atual e justamente por isso gastam como se não houvesse amanhã, ou melhor gastam porque sabem que “amanhã” cairá mais dinheiro na conta, e assim levam a vida. Observo ainda que a maioria compartilha o mesmo desgosto por terem que morar em um país muçulmano, então mês sim e mês não é hora de fazer uma viagem para Europa com o objetivo de viver um pouco dentro da normalidade. Morar longe da família? Sem problemas, lá se vai mais dinheiro em viagens para o Brasil… acho que você já percebeu a incoerência da situação, a gente submete-se a uma estilo de vida para ganhar mais dinheiro e acaba tendo que gastar esse dinheiro para amenizar ou mesmo nos anestesiar frente a tanta insatisfação.

   Mas o maior perigo ainda é o de se estar tão satisfeito com o emprego atual que gasta-se todo o salário com a certeza de que aquela satisfação irá durar para sempre. Eu mesmo quando comecei na profissão achava que era o exemplo vivo do ditado “trabalhe no que se ama e não terás que trabalhar um único dia em sua vida”, por conta disso torrava todo o meu salário em baladas, carro novo e um apartamento para morar sozinho, obviamente tudo financiado pois dinheiro nunca iria faltar. Com o tempo fui caindo na real e trabalho virou trabalho, ainda tive um pequeno período onde a carreira deslanchou e eu acreditei que o amor pela profissão havia renascido. Mas poucos anos depois foi quando a realidade bateu forte e eu tive a certeza que não conseguiria seguir nesse caminho até a velhice, ainda hoje olho com inveja e curiosidade para os profissionais da minha área que mesmo beirando os 60 anos de idade ainda mostram disposição para voar. Me pergunto se é pura vocação ou simplesmente gastaram como se não houvesse amanhã e o amanhã chegou mais rápido doque eles esperavam.

   Enfim, para quem me acusa de não exercer a gratidão aqui vai… sou extremamente grato pela insatisfação com a minha profissão, sem ela estaria acomodado na corrida dos ratos e anestesiado pela vida atual a ponto de nunca ter imaginado que possa existir vida fora desse verdadeiro labirinto que é a vida moderna.


Sr.IF365

Comentários