Viver como se não houvesse o amanhã…

   Demorou um pouco para eu assimilar e acreditar na partida precoce do nosso colega Viver de Construção, a relevância dele para toda a finansfera ficou clara nos incontáveis posts e mensagens explanados por toda a comunidade, é praticamente impossível entrar em qualquer blog brasileiro de finanças pessoais e não ler nada a respeito do acontecido. Vou deixar as homenagens para aqueles que tinham um convívio mais próximo do VdC, nesse post gostaria de focar na reação da comunidade à notícia do seu falecimento.





   Em um primeiro momento a maioria de nós (inclusive eu) não quis acreditar no ocorrido, todos achamos que poderia ser alguma jogada de marketing ou um post polêmico para nos forçar à refletir sobre a corrida "maluca" rumo à IF em que a maioria de nós nos engajamos, com o passar dos horas descobrimos que infelizmente a notícia era real e o VdC tinha realmente nos deixado. A descrença foi dando lugar à perplexidade e todos nós por conta do infinito egoísmo humano passamos a nos imaginar na mesma situação, “caramba, podia ter sido eu!”. Por mais que queiramos nos solidarizar à família do VdC a verdade é que a morte dele nos chocou porque sentimos que poderia ter acontecido com nós mesmos, fomos deitar naquela noite lembrando de tudo que já passamos nessa dura caminhada rumo à IF e aterrorizados com a possibilidade de morrermos subitamente sem ter tido a oportunidade de saborear a vitória, a mesma vitória que o VdC tão orgulhosamente anunciou em seu blog quando postou que havia conquistado a tranquilidade financeira. Tenho certeza que a maioria absoluta de nós dormiu mal naquela noite…

   Ao acordamos no dia seguinte talvez já tínhamos esquecido do ocorrido até a hora de pegarmos nosso computador para lermos os novos posts da  finansfera, neste instante foi inevitável voltarmos a pensar em sua morte. Novos posts e mensagens pipocavam por toda a comunidade, a maioria lamentando o “azar” de ter trabalhado tão duro para conquistar a tranquilidade financeira para então logo em seguida perder tudo pelas mãos do destino. Foi então que a grande pergunta repetidamente ecoou na mente de todos nós, "será que tudo isso vale à pena? Talvez eu devesse jogar tudo para o alto e viver a vida como se não houvesse o amanhã, afinal para o VdC o amanhã nunca chegou…" Eu mesmo já vinha tendo uma semana ruim por conta de algumas crises nervosas causadas pelo stress no trabalho, cheguei perto de escrever para o meu chefe pedindo um licença médica por stress mas ao refletir melhor não pega bem um piloto de avião dizer que está estressado a ponto de ter que deixar as atividades, no final desisti dessa idéia e passei a considerar deixar o emprego por completo. Foi quando me deparei com o post da esposa do VdC, ao ler a notícia o soco no estômago foi tão forte que por um tempo parei de contemplar meus próprios problemas para só conseguir pensar o que havia acontecido com ele.

   Os dias que se seguiram foram estranhos, minha mente ficou anestesiada pela dúvida em deixar o emprego hoje mesmo e ir curtir a vida antes que seja tarde ou continuar firme com os planos de IF para maio de 2019. Tentei desabafar com alguns amigos contando um pouco sobre o ocorrido com o VdC mas esbarrava logo de cara com o conceito de IF, logicamente todos lamentaram a morte precoce dele mas não entendiam como ter atingido a tranquilidade financeira tornava o fato ainda mais trágico uma vez que nenhum deles se quer imagina que seja possível atingir tal liberdade.

   Hoje com a “poeira" um pouco mais baixa minha mente se abriu e consegui refletir com mais clareza sobre o assunto, a grande pergunta que dominava a minha mente e talvez a sua pôde finalmente ser respondida com racionalidade, “E se não houver o amanhã? Teria eu desperdiçado minha vida em busca da IF?”. A grande verdade é que vai sim existir o manhã para mim e para você, o que aconteceu com o VdC foi o imponderável somado ao improvável multiplicado pelo inimaginável. Quem diz isso não sou eu sim as estatísticas e as probabilidades, na minha profissão é muito comum acharem que por ser piloto estou arriscando minha vida todas as vezes que entro em um avião, porém a realidade é que a parte mais perigosa do meu trabalho é pegar o carro e dirigir até o aeroporto, as pessoas acham que estou brincando mas essa é a realidade. Então se por conta do que aconteceu com o VdC você passou a questionar se todo o sacrifício para atingir a IF ainda vale à pena por causa da possibilidade de que o amanhã possa não existir vou repetir, para mim e para você o amanhã irá sim existir! Não sei qual era a idade do VdC, mas se você tem hoje 20 anos de idade a chance de chegar aos 30 é de 98.9%, chegar aos 40 é de 97.5%, viver até os 50 94.9%, etc… Ou seja, o manhã irá sim existir e é melhor estar preparado!





   Lamentamos muito a partida do nosso colega VdC, tenho certeza que a lição que ele gostaria de nos passar é a de que a busca pela IF vale muito a pena, mesmo que isso signifique sacrificar o hoje para viver melhor amanhã, afinal não é esse o espírito investidor que permeia nossa comunidade? Poupar hoje para colher muito mais amanhã? Penso que VdC ficaria muito decepcionado caso a fatalidade que aconteceu com ele fosse usada como desculpa para desistir dos sonhos de independência financeira e passar a viver como se não houvesse o amanhã. Mais uma vez posso garantir que o manhã irá existir, e mesmo que eu esteja errado duvido que o simples fato de alguém ter aproveitado ao máximo a vida irá amenizar qualquer sentimento negativo estando em um leito de morte, na verdade acho que se a vida foi tão boa assim a vontade seria de ficar e não partir, normalmente o que observo é que pessoas que sofreram muito em vida aceitam melhor a morte, esse lance de "eu vivi uma boa vida e agora morrerei em paz" é baboseira de filme de Hollywood, existindo ou não vida após a morte não acho que ter aproveitado a vida como se não houvesse o amanhã ou então ter sacrificado grande parte dela por um objetivo maior irá ser comemorado ou lamentado por toda a eternidade.



Sr. IF365

Comentários