“Deu ruim” para a Srta.IF365…

   Quem já acompanha o blog a algum tempo lembra de como eu reclamava de cansaço, dores de cabeça constantes, gastrite, etc… sempre culpei o stress da vida que levo como piloto e apostei todas as minhas fichas na aposentadoria antecipada para recuperar a saúde perdida. Confesso que nunca acreditei muito nesse lance de stress poder causar problemas físicos, mas hoje em dia após observar a reação do meu corpo à períodos de stress mais intensos não tenho mais como negar que a correlação realmente existe. Mesmo assim ainda pesa um certo desconforto por me achar mais fraco doque meus colegas de trabalho pois as vezes, parece que sou o único que sofre de problemas físicos causados pela exposição ao stress prolongado.



   Acredito que alguns aqui tenham notado que desde o pedido de demissão o blog não recebeu mais nenhum post à respeito dos meus problemas de saúde relacionados à stress, é verdade que recentemente fiquei afastado por motivo de saúde mas foi apenas uma gripe corriqueira. Mas não é porque eu não falo nada que a vida tem sido menos estressante, na verdade meu nível de stress anda nas alturas por conta da transição para a IF. São tantos documentos, procedimentos para processar meu desligamento da empresa, conseguir visto para Bali, passagem aérea, acomodação, etc… que é praticamente impossível relaxar no momento, mesmo sabendo que a aposentadoria está próxima. Cheguei a dormir mal nas últimas semanas mas agora com alguns pepinos já resolvidos voltei a dormir bem, na verdade achei que daqui pra frente tudo seria mais fácil, porém foi surpreendido pela Srta.IF365… acho que por estar tão concentrado nos meus próprios problemas acabei ignorando como para ela as coisas também são difíceis por conta da minha transição, ela também vive momentos de incerteza devido a minha partida, novos desafios da promoção que recebeu no trabalho e problemas de saúde do pai dela. Mas por ela ser ainda jovem eu talvez tenha subestimado a capacidade do stress afetar a sua saúde, e por isso fui surpreendido essa semana quando tive que correr para o hospital com ela sofrendo sintomas de ataque cardíaco.


   Em um primeiro momento ela reclamou de dores no peito e no pescoço, achamos que não passava de problemas musculares e por isso não demos muita bola, mas no meio da noite a dor atingiu um nível insuportável e corremos para o hospital, durante o atendimento o médico fazia várias perguntas enquanto eu ali do lado acompanhava tudo pelo Google, fiquei perplexo em ver que todas as queixas dela eram sintomas de ataque cardíaco feminino. Ao contrário de ataque cardíaco em homens, oque ocorre em mulheres é diferente doque estamos acostumados a ouvir por aí, nas mulheres a dor aparece de forma menos repentina acompanhada de dor na mandíbula e pescoço. E esses eram justamente os sintomas que ela sofria, dores no peito subindo para a mandíbula e irradiando para o braço esquerdo.


   Imediatamente os médicos encaminharam ela para realizar um ecocardiograma que em um primeiro momento não apontou problemas cardíacos, porém para ter certeza de que tudo estava bem foi preciso passar a noite hospitalizada e realizar exames mais detalhados. Felizmente depois de 12h hospitalizada saímos com um diagnostico que já me é familiar, nada de errado foi encontrado e a única explicação plausível era stress. Durante mais de uma década que convivo com essas dores misteriosas perdi a conta de quantas vezes saí do consultório médico com o mesmo diagnóstico “não tem nada de errado com você, deve ser apenas stress”…


   Tudo não passou de um susto e a Srta.IF365 já voltou ao trabalho mesmo contrariando ordens médicas não tirou alguns dias de folga do trabalho porque perderia o curso da sua sonhada promoção, coisas que só quem trabalha duro atrás dos seus objetivos profissionais vai entender. Como podem ver mesmo alguém jovem e com pouco mais de 3 anos trabalhando na aviação está sujeito ao stress da profissão, imagina eu com quase 25 anos nessa “batida”? Acaba que depois desse episódio eu não me acho mais tão fraco…rs



Sr.IF365

Comentários