Patrimônio vs Inflação...

   Janeiro será o último mês em que receberei renda ativa e já a partir de fevereiro contarei apenas com oque entrar de renda passiva para viver, isso quer dizer que então poderei parar de me preocupar com os fechamentos mensais, aportes e principalmente com o crescimento patrimonial afinal basta eu gastar só oque realmente entrar como renda passiva que estarei garantido pelos próximos 50 anos, certo? É claro que não! Graças à temida inflação e suas nefastas consequências sobre meu poder de compra a longo prazo, será preciso mais doque nunca fazer um acompanhamento no mínimo grosseiro da evolução patrimonial frente á inflação. Em um primeiro momento pode parecer que o simples fato de ver o patrimônio continuar crescendo ao longo do tempo (mesmo usufruindo da renda passiva) seja um bom indicador de que tudo está correndo bem, a verdade é que será necessário ter ao menos uma ideia de quanto ele realmente cresceu ou recuou frente à inflação. Isso porque mesmo que ele tenha crescido consistentemente ao longo dos anos isso não quer dizer que mantive meu poder de compra uma vez que talvez a inflação tenha sido superior à valorização dos ativos. Então como proceder?





   Pois bem, se olharem meus gráficos patrimoniais nos posts de fechamentos mensais, irão notar que até então ele apresentava apenas uma linha azul que ao longo do tempo foi praticamente apenas subindo conforme eu fazia mais aportes e investimentos, ela representa bem como foi minha fase de acumulação ao longo de todos esses anos. Agora chegada a hora de usufruir da renda gerada pelo patrimônio acumulado o grande desafio passa a ser não manter o ritmo de crescimento e sim apenas superar a inflação, e para isso eu escolhi o "bom" e velho IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), ele é divulgado mensalmente e tudo que eu terei que fazer é aplicá-lo ao valor do meu patrimônio, dessa forma saberei o quanto ele deveria ter valorizado para manter-se a par com inflação do período. Fazendo isso todos os meses passarei a ter um gráfico com duas linhas, a azul que continua representando o valor real do meu patrimônio e uma linha vermelha que representará o valor teórico que meu patrimônio deveria ter quanto reajustado pelo IPCA.


   Fiz uma pequena simulação logo abaixo usando valores aleatórios só para ilustrar como o gráfico ficará parecendo no futuro depois que uma linha de tendência se formar, obviamente a linha vermelha do IPCA não será tão arredondado como aparece logo abaixo, o índice varia bastante chegando a ser negativo em algumas meses, a verdade é que fiquei com preguiça de fazer uma simulação mais detalhada. Vale ressaltar novamente que essa é apenas uma simulação grotesca uma vez que, devido aos aportes mensais provenientes da renda ativa é praticamente impossível perder para a inflação.

Simulação de uma linha mestra considerando o IPCA





   Apesar de ser apenas uma simulação é possível notar que durante minha evolução patrimonial estive por vezes acima ou abaixo da linha que representa a inflação segundo o IPCA, obviamente tudo reflexo das variações do mercado. Mas o importante é ver que a linha vermelha serviu como guia para eu saber se meu patrimônio está sendo corroído ou não pela inflação. E essa é a ideia a partir de fevereiro, começarei a utilizar o IPCA para reajustar mensalmente o valor teórico patrimonial e conforme o tempo for passando irá ficar claro se meu plano de IF está sendo bem sucedido ou se terei que planejar melhor o futuro por conta da inflação. O ideal seria ver as linhas se distanciando cada vez mais e com a linha azul obviamente sempre acima da vermelha, mas caso daqui 3 ou 5 anos aconteça o contrário a luz de alerta irá acender e medidas corretivas serão necessárias.


   Mas aí você vai me dizer, “Sr.IF365 o IPCA é mascarado pelo governo, a inflação real é muito maior doque o William Boner insiste em apresentar no Jornal Nacional”… concordo com você meu caro leitor, mas queira ou não ainda sim essa é a inflação oficial do nosso país e eu preciso adotar um critério que não seja a inflação calculada pela tia Maria da padaria da esquina. Conforme expliquei a linha vermelha será apenas mais um guia para monitorar a saúde financeira dos meus planos de IF, não será o fim do mundo se eu chegar no dia da minha morte e ver que meu patrimônio perdeu tanto para a inflação que só levarei para o túmulo metade dele, ou quem sabe só um terço do valor inicial. Considerarei que fui bem sucedido nos meus planos de IF se não passar necessidade ao longo do vida, nem que para isso seja preciso deixar a inflação corroer uma parte do patrimônio. Por isso creio que a adoção do IPCA como referência não seja tão ruim, claro que eu poderia ter uma meta mais ousada de querer que no dia da minha morte meu poder de compra real seja o mesmo que hoje, mas qual a vantagem de levar para o túmulo o equivalente à 3,5 milhões?rs



Sr.IF365