Meu último dia de trabalho…

   Hoje foi um dia especial, fiz meu último voo pela empresa e possivelmente o último da minha vida tripulando uma aeronave comercial. Apesar de ainda estar tecnicamente empregado por mais 3 dias daqui pra frente estarei de folga e apenas cuidando da burocracia que resta para me desligar da empresa, e acredite é muita burocracia! Mesmo tendo zilhões de coisas me incomodando (carro que não foi vendido, passagens para Bali que não foram autorizadas ainda, conta em banco que não consegui encerrar, etc…) quis deixar tudo isso de lado e apenas curtir o último dia de trabalho. Fui escrevendo esse texto ao longo do dia conforme as coisas foram acontecendo e o resultado final é isso que você lê logo abaixo.


   11:20 - Acordei tarde no horário local de onde passei a noite, depois de voar a madrugada inteira cheguei ao hotel morto e tudo que eu conseguia pensar era em dormir. Gostaria que meu último voo fosse mais glamuroso mas infelizmente a empresa não tem esse tipo de consideração por quem está saindo e acabei vindo passar o meu último pernoite em Bangladesh, um dos países mais pobres do mundo. Mesmo assim somos colocado em um hotel excelente e dormi muito bem a noite. Ainda com muita preguiça fiquei mais um pouco na cama e decidi ler uns posts dos blogs que sigo, notícias sobre o ataque terrorista que aconteceu ontem em Nairobi (local que a gente costuma pernoitar também, fico aliviado de não ter mais que me expor a esse tipo de risco). Também aproveitei para abri o e-mail da empresa e qual não foi a minha surpresa em receber um mensagem automatizada da chefia me dando os parabéns nesse dia por completar 5 anos na empresa!rs Tinha esquecido completamente da data, e coincidentemente hoje faço meu último voo também…. porém não recebi os parabéns por isso.


   12:30 - Depois de vencer a preguiça decidi descer até o saguão do hotel e procurar algo que se parecesse com café da manhã, queria comer um omelete mas as opções eram limitadas devido ao horário então mandei pra dentro um sanduíche, juro que eu até tento comer de forma saudável mas essa vida de viajante dificulta muito. Poderia até ter pedido uma salada mas tenho como regra evitar qualquer tipo de alimento cru em lugares “inóspitos” como é o caso de Bangladesh. A conta como sempre veio salgada, R$101,00 por um sanduíche acompanhado de um café… nunca vou entender o porque quanto mais pobre o país mais caro são as coisas.


   13:20- Faltando pouco menos de três hora para a apresentação era hora de dar uma relaxada. Aproveitei pra responder uns emails, o post do Joca no blog e pensar mais um pouco em tudo que eu tenho que fazer nesses últimos dias. Tentei também ligar para a mulher via FaceTime mas a internet do hotel é um lixo, foi impossível manter uma conversa.


   16:00 - O telefone do quarto tocou e ouvi pela última vez uma frase que já me acompanha à décadas “This is your wakeup call”, meu deus como eu odeio essa frase! Acho que já a ouvi em todos os horários possíveis, hoje até que não foi dos piores. Mas quando o telefone toca às duas da manhã e você simplesmente não conseguiu dormir ainda é a pior sensação do mundo. Perdi a conta de quantas vezes simplesmente não consegui dormir antes de uma longa jornada de trabalho… felizmente isso a partir de hoje fica no meu passado para ser esquecido.


   17:00- Hora de pegar a van para o aeroporto, por medida de segurança somos escoltados por um guarda carregando uma escopeta… apesar de me sentir mais inseguro quando tinha que atravessar a Linha Vermelha no Rio para ir até o Galeão ainda sim a necessidade de escolta armada nunca é um bom sinal!rs No caminho para o aeroporto apreciei pela última vez o caos de Dhaka (capital de Bangladesh), lugares como esse sempre me despertam a gratidão por ter nascido no Brasil. Acredite, tem lugares piores doque o Brasil para se ter nascido…. e MUITO piores. O povo aqui é absolutamente miserável e se você teve o azar de nascer em Bangladesh suas chances de melhorar de vida são praticamente nulas.


18:00- Decolamos já a noite e não deu tempo de pegar o último por do sol, então vai ficar em minha mente o nascer do sol do dia anterior enquanto eu virava a noite trabalhando. Organizei as tarefas do voo de forma que eu pilotasse essa etapa de volta pra “casa”, porém nunca disse para o co-piloto que era meu último voo, acho que não gosto desse tipo de atenção e também tenho certeza de que ninguém liga de verdade… preferi guardar esse momento só pra mim. Foram 6 horas de voo onde refleti muito sobre tudo até aqui e também me preocupei com oque está por vir, na verdade foi bem solitário uma vez que o co-piloto não se sentia bem por causa de uma gripe e dormiu durante a maior parte da viagem.



Nascer do sol durante o voo do dia anterior, acho que foi o último visto de uma cabine de um avião… os próximos serão como passageiro!rs



   22:23- Pousamos mais cedo… mas espera aí, 22:23? Ué, vc não falou que eram 6 horas de voo? Sim porém tem que levar em consideração o fuso horário. Vou dar nota 7 para esse meu último pouso, já fiz melhores mas também já fiz BEM piores!rs Normalmente um piloto que se aposenta é recebido pelos bombeiros com jatos d’agua para coroar um carreira bem sucedida, mas isso não se aplica à uma aposentadoria antecipada! Na verdade até o momento só eu estava sabendo que aquele era meu último voo. Após cortar os motores e ler o checklist pela última vez apertei a mão do copiloto e como de costume agradeci por mais um dia de trabalho. Pedi para que ele tirasse uma foto minha, coisa que nunca faço e acho que no futuro me arrependerei de não ter colecionado mais memórias. Nesse momento não resisti em dizer que era meu último voo na empresa… como esperado ao entrarmos no ônibus ele contou para o restante da tripulação e todos me desejaram felicidades. Se tem uma coisa que me chamou a atenção é que durante esses 3 meses em que cumpri aviso prévio e comentei que estava deixando o emprego, não teve uma viva alma que ao invés de me apoiar disse que eu estaria comentando um erro ou mesmo que iria me arrepender...


   23:10 - Hora de tentar encontrar o carro no estacionamento, esse é sempre um momento tenso porque eu nunca lembro onde parei…rs Dirigi para casa com uma sensação de alívio misturado com angustia. Foram mais de duas décadas me dedicando a um sonho e tudo terminava ali, dentro de um carro dirigindo para casa… obviamente fui tomado por nostalgia um vez que por algum motivo que eu não entendo até hoje o ser humano tende apenas a lembrar das coisas boas e esquecer as ruins. Mesmo ainda de “ressaca” por ter passado a noite anterior em claro tudo que eu conseguia pensar era em todas as coisas boas que eu estava abrindo mão. Mas vou confessar que nesse turbilhão de emoções oque realmente prevaleceu foi aquela sensação que a gente tem no primeiro dia de férias!


   23:50 - Chegando em casa tirei o uniforme pela última vez, mesmo esperando nunca mais ter que vestir esse símbolo do que me escravizou durante mais de duas décadas foi impossível não sentir uma certa tristeza. Antes de dormir ainda recebi os parabéns da mulher e dos meus pais através de uma rápida ligação via WhatsApp já que FaceTime é bloqueado por essas bandas, nada como viver em uma ditadura!rs E pra dizer que não teve celebração tomei o restinho de vinho que tinha aberto na geladeira...


   00:20 - Hora de dormir, amanhã acordo cedo para ir à academia (agora acabaram-se as desculpas!) e depois começo a correria para resolver todas as pendências até a minha partida do país. Foi mais um dia como qualquer outro, nada de mágico aconteceu e nem festa teve… não esperava nada diferente disso, sei que as mudanças acontecerão aos poucos e que um futuro muito melhor me espera pela frente, basta ter paciência!


Uma boa noite a todos.


Sr.IF

Comentários