Acumule riqueza, seja absurdamente generoso e mude a história da sua família….

   Um dos grandes gurus das finanças pessoais e que tem meu total respeito chama-se Dave Ramsey, ele possui um programa diário na televisão americana onde através de ligações telefônicas tira dúvidas e ajuda pessoas a se educarem financeiramente. Entre tantas frases que ele gosta de mencionar em seu programa a minha favorita é “build wealth, be outrageously generous, change your family tree” ou traduzindo para o nosso português "acumule riqueza, seja absurdamente generoso e mude a história da sua família”. Quando ele incentiva as pessoas a ficarem ricas o principal objetivo é sempre esse… primeiro acumular patrimônio para si, depois ajudar os outros sendo absurdamente generoso e finalmente usar o dinheiro para mudar o destino das suas futuras gerações (pois agora ao invés dos seus filhos e netos terem que começar da “estaca zero” financeira, eles serão criados em um ambiente próspero e provavelmente fértil economicamente).


   Essa semana tive a felicidade de poder exercitar uma parte importante desse “mandamento”, apesar de não ser religioso como o Dave ainda sim o Sr.IF sabe discernir oque é cerdo doque é errado. Entre as muitas coisas que já aconteceram desde que decidi passar uma temporada no Brasil essa semana me envolvi em um acidente de trânsito justamente com o carro que peguei emprestado de um parente… parece inacreditável que em 5 anos dirigindo naquele hospício que é o trânsito do deserto eu nunca tive um arranhão no meu próprio carro, e agora em menos de 2 semanas ao parar em um faixa de pedestre um rapaz “encheu a traseira” do meu carro emprestado… por algum motivo ele não me viu parado esperando uma senhora atravessar e fez um estrago enorme na parte de trás do veículo a ponto de eu ter que guincha-lo para a oficina.




   Passado o susto e vendo que ninguém se machucou descobri que o jovem não tinha seguro, ainda meio consternado ele me pediu milhões de desculpas e logo se propôs a pagar pelo prejuízo. Quando coloquei a cabeça no lugar notei que ele era de origem simples e que por não ter seguro dificilmente eu veria a cor do dinheiro da franquia. Mesmo assim peguei o telefone dele, fiz um BO online e a tarde descobri o valor da franquia cobrada pela seguradora, R$1.600,00… Fui dormir naquela noite com a sensação de que tudo estava resolvido mas muito chateado por ter estragado o carro que tinha acabado de pegar emprestado. Que azar de m3rd@!


   Na manhã seguinte acordei cedo para ir ao litoral com a Srta.IF que finalmente chegou ao Brasil, e quando liguei o celular tinha uma mensagem do rapaz perguntando se eu já sabia o valor da franquia… pelo visto ele deve ter dormido mal e preocupado em como iria conseguir dinheiro para reparar o prejuízo causado. Durante o café da manhã refleti sobre como sou sortudo por em plena terça-feira poder ir passar uns dias no litoral sem ter que me preocupar com trabalho ou dinheiro, nem mesmo o acidente de trânsito do dia anterior conseguiu afetar meu bom-humor. Mas a cara de consternação daquele jovem não me saía da cabeça, depois do pouco contato que eu tive com ele já dava para perceber que aqueles R$1.600,00 iriam fazer falta para ele… como disse, o Sr.IF apesar de não ser religioso sabe discernir oque é cerdo doque é errado, e naquele momento eu sabia que o certo era tomar uma atitude absurdamente generosa. Peguei o telefone e liguei mais uma vez para aquele jovem explicando que eu gostaria que ele ficasse despreocupado com o prejuízo causado pois a seguradora tinha me oferecido um bom desconto na franquia e que naquele momento eu felizmente poderia arcar com o prejuízo do acidente. O tom de alívio dele ficou evidente mesmo em meio a tantos pedidos de desculpas por conta do acidente. Ele finalmente confessou que não sabia como iria arcar com o conserto do carro uma vez que o orçamento da família já estava apertado, então eu apenas desejei boa sorte e antes de desligar disse que estava feliz em poder ajudar e seria bom se um dia ele pudesse fazer o mesmo por outra pessoa.


   Naquela manhã peguei a estrada para ao litoral com o coração ainda mais leve, eu não só me sentia privilegiado por poder ir viajar em plena terça-feira mas também pude de alguma forma ajudar alguém que mal conhecia graças à liberdade e abundância que estou vivendo proporcionada pela independência financeira. Acho que esse é um novo capítulo na minha jornada onde prejuízos como o que tive com o acidente de trânsito não mais me causam tristeza e sim trouxeram uma oportunidade de usar o dinheiro para fazer algo de bom. Não quer dizer que daqui pra frente o Sr.IF irá virar um adepto da filantropia e nem irá passar a recolher o dízimo da igreja, mas saber que a renda passiva dá e sombra pra viver, investir e ajudar o próximo é bem reconfortante. Sei que é feio fazer o bem e espalhar por aí mas eu achei que essa seria uma historia interessante de ser compartilhar aqui no blog, alem de que eu estou longe de ser um santo mesmo!rs


Sr.IF