Facebook, o inimigo da Independência Financeira...

   Ao abrir o Facebook ou outras mídias sociais quem é que nunca se pegou pensando “Como a minha vida é um lixo comparada com a dos meus amigos”? Páginas e mais páginas de pessoas sorridentes, viajando o mundo, exibindo aquele carro zero, a casa nova ou mesmo o filhão que acabou de nascer. Obviamente os menos inocentes sabem que toda essa felicidade exibida nas redes sociais passa longe da realidade, e que se o mundo real fosse realmente assim a vida de todo mundo seria mais fácil.





   O problema começa quando essa ilusão de que todo mundo ao seu redor leva uma vida fantástica e você não, se reflete no seu modo “poupador de ser”. Passamos a questionar nossos próprios valores e planos de FIRE (Independência Financeira e Aposentadoria Antecipada), será que realmente vale a pena não viver tudo isso agora e apostar em um futuro mais tranquilo? Será que vou me arrepender depois? Será que estão todos errados e somente eu certo? Essas e outras perguntas com certeza povoam a cabeça de toda pessoa que ingressa na jornada em busca da independência financeira. Infelizmente o nosso tempo sobre esse planeta é limitadíssimo e das três opções possíveis só podemos escolher uma delas, ou você economiza agora para atingir a independência financeira o mais rápido possível, ou você vive como se não houvesse amanhã gastando tudo que ganha com o objetivo de aproveitando o presente ao máximo ou então faz uma mistura dos dois poupando de forma moderada mas constante aceitando atingir a IF só quando estiver mais velho.


   Eu particularmente abomino a segunda opção porque acredito que pessoas precisam de uma certa tranquilidade para desfrutar da vida, ninguém dorme tranquilo quando está atolado em dívidas ou então não tem onde cair morto caso perca o emprego. Já ser moderado ou ir para o “tudo ou nada” vai do perfil de cada um. Sempre fui o tipo de pessoa que se tiver que tomar uma injeção no médico que seja agora e não no dia seguinte, prefiro que as coisas aconteçam de uma vez sejam elas boas ou ruins, nada é pior para a minha saúde mental doque ficar sofrendo por ansiedade, então o perfil moderado não se encaixa nas minhas expectativas para a vida. Optei por juntar o máximo agora e atingir a IF o mais cedo possível, mesmo porque não estou curtindo nada da minha vida atual uma vez que não consigo reduzir o ritmo de trabalho, caso opte por ser mais moderado e abrir a torneira dos gastos só irei prolongar o sofrimento ao mesmo tempo que tento ameniza-lo com coisas materiais, tipo querer curar um câncer com aspirina.





  E é exatamente aí que entram as redes sociais, porque todo mundo apenas posta o lado “cor-de-rosa da vida” que geralmente envolve gastos com viagens e coisas materiais, ficamos com a impressão de que para sermos felizes precisamos viver como se não houvesse o manhã. Pode até ser que aquela pessoa não seja um gastador compulsivo, mas as fotos e posts de viagens para lugares paradisíacos simplesmente se acumulam de tal forma no seu Facebook que não resta outra alternativa a não ser concluir que você tomou a decisão errada ao optar por passar férias em casa no lugar de fazer aquela viagem para a Europa.

  Passo por isso neste exato momento, na minha empresa tiro férias de forma “homeopática” que compreendem períodos curtos de até 9 dias. Tenho um começando na próxima semana e outro mês que vem, já coloquei na cabeça que não vou viajar esse mês mas aquela "pulga atrás da orelha" sempre aparece quando abro meu Facebook e penso “que merda, estou desperdiçando minha vida!”. O consolo fica por conta de que no próximo mês já programei uma viagem para a Indonésia onde vou sair a procura de lugares para morar, além de viver uma semana como se já estivesse desfrutando da IF. Vai me dar uma boa ideia do que esperar quando finalmente fizer a transição, mas isso já é assunto para outro artigo…

Sr IF365