Investindo US$100 mil na Bolsa Americana...

   Quem acompanha os fechamentos mensais notou que uma parte considerável do meu patrimônio já encontrava-se atrelado ao dólar, para ser mais preciso 15% do patrimônio ou o equivalente à aproximadamente R$440mil (US$120 mil). Até então esse valor encontrava-se inacessível pra mim por estar investido em um fundo de aposentadoria com co-participação da empresa onde trabalhava, após minha demissão finalmente os recursos foram liberados e essa semana coloquei em prática meu plano de investimento no exterior. Detalhei esse plano no post “Hora de investir no mercado americano…”. Caso queiram mais detalhes da minha estratégia sugiro ler o post, mas resumidamente pretendo deixar 50% em ETFs de títulos públicos americanos aguardando (e torcendo) por uma crise por lá, 25% em ETFs S&P500 e 25% em ETFs de REITs (equivalente aos fundos imobiliários aqui no Brasil).





   O fundo de aposentadoria foi depositado em dólares diretamente em uma conta no exterior então não tive maiores problemas ou perdas por conta do câmbio quando transferi para a corretora DriveWealth nos Estados Unidos, de antemão agradeço as indicações que recebi de corretoras nos EUA mas como sou extremamente preguiçoso e a DriveWealth atende minhas necessidades de investimentos decidi investir com ela uma vez que a conta já estava aberta. E assim o fiz, após a transferência para a corretora os recursos ficaram disponíveis no mesmo dia sendo que para transferir US$85k me custou US$51 em taxas. Finalmente só me restou então comprar os ETFs segundo minha estratégia de portfólio. Como sempre o Sr.IF não tentou adivinhar o mercado e comprou tudo de uma vez… é obvio que se eu soubesse que a crise estouraria na próxima semana eu esperaria mais um pouco e não investira tudo de uma vez, mas considerando que esse dinheiro nunca irá deixarmas como a minha bola de cristal está quebrada a carteira ficou da seguinte forma:

VGSH (ETF Short Term Bonds) - US$49.918,17
VOO (ETF S&P500) - US$24.868,00
VNQ (ETF REITs) - US$10.081,08

TOTAL - US$84.867,25



   Ainda falta receber da empresa o salário do meu último mês trabalhado, assim que for depositado completo os US$15k que faltam aportar em VNQ para que a carteira atinja os US$100 mil conforme o planejado. Os outros US$20k ficarão em dinheiro vivo e utilizarei durante esse ano de viagens já que é bem mais prático utilizar os recursos que já estão fora do país doque ficar pagando IOF do cartão de crédito brasileiro ou transferências para o exterior.

   Como vocês podem ver o Sr.IF por incrível que parece odeia mexer com dinheiro e por isso optou pela mais absoluta simplicidade nos investimentos em dólares, ETFs. No meu mundo ideal a renda passiva apenas "pingaria" mensalmente em minha conta enquanto curto a vida, mas infelizmente tenho que fazer um certo acompanhamento do portfólio e definir algumas estratégias. É claro que se eu gostasse do assunto não teria optado por ETFs e buscaria uma rentabilidade melhor escolhendo ativos individualmente, mas além de odiar fazer isso também não possuo o conhecimento necessário.

   Os planos são de ainda esse mês completar US$100k investidos no mercado americano, aguardar o apocalipse financeiro que virá amanhã, depois ou no máximo daqui à 50 anos e quando isso acontecer tirar dos Bonds e transferir para o S&P500. Mais adiante à título de diversificação pretendo migrar parte da renda passiva recebida no Brasil para essa carteira no exterior conforme relatei no post “Como pretendo investir após a IF…”. Tudo sempre visando a simplicidade…

****ATUALIZAÇÃO 05/02****

  Ótimo vídeo do Canal do Holder sobre ETFs no exterior:



Sr.IF

Comentários