Os desafios do meu primeiro mês de Independência Financeira…

   Hoje completa exatamente um mês que deixei meu emprego e passei a viver a tão sonhada  Independência Financeira e Aposentadoria Antecipada, de lá pra cá já aconteceu muita coisa e por mais que eu tivesse imaginado como tudo iria se desenrolar algumas situações ainda me pegaram de surpresa. Apesar de ainda não estar vivendo exatamente a vida que planejei em Bali e na beira da praia já posso dizer com certeza absoluta que não me arrependo da decisão tomada e nem sinto falta da minha antiga rotina de trabalho. Canso de ler em blogs americanos que a gente deve “retire to something and not from something”, ou seja se aposentar “para alguma coisa e não de alguma coisa”, mas no meu caso como eu simplesmente não suportava mais a vida que estava levando acho que essa regra não se aplica à mim… tanto é que eu encho a boca pra falar que me aposentei do trabalho que odiava!rs





   Perdi a conta de quantas noites passei acordado imaginando como seria a vida após FIRE (Independência Financeira e Aposentadoria Antecipada), estudei minuciosamente todos os casos de sucesso e fracasso que pude encontrar na internet e por isso já tinha uma vaga idéia doque me esperava, e até agora tudo aconteceu meio que dentro do esperado. Posso dizer com certeza que nesse primeiro mês o meu maior desafio foi lutar contra a mentalidade de escassez que tomou conta do meu dia a dia, tenho travado uma dura batalha toda vez que sou obrigado a colocar a mão no bolso para gastar dinheiro… sinto quase que uma dor física. Se antes o fato de ter que arcar com alguma despesa me trazia um sentimento de que aquilo me deixava mais longe da IF, hoje qualquer gasto me deixa angustiado por dar a impressão de que estou colocando meus planos de IF em risco caso não controle as despesas corretamente. Eu já esperava passar por isso e como descrevi no post "Regra dos 15%" a solução foi criar um fundo de reserva com dinheiro para ser gasto e não acumulado, ou seja após pagar as contas e reinvestir 15% dos meus gastos para vencer a inflação a quantia que sobrar deve ser colocada de lado em uma aplicação com alta liquidez e obrigatoriamente ser gasta, não vou misturar esse dinheiro no bolo principal porque sei que se fizer isso eu nunca mais irei gasta-lo. Acho que conforme eu notar que esse fundo está crescendo a mentalidade de escassez deve começar a diminuir, e pensar que todo esse stress me incomoda mesmo vendo que a renda passiva desse mês será praticamente o dobro dos meus gastos… ou seja, uma situação bem confortável. Coisas de uma mente que sofre de preocupação crônica...


   Outro desafio tem sido lidar com as incertezas que norteiam esse ano “nômade” que terei pela frente conforme descrevi no post "Um ano inteiro viajando". Por mais que eu queira encarar tudo de maneira leve e descontraída, a logística de ficar rodando por países com as passagens desconto que a empresa me “deu” não é fácil e tem me tirado o sono, uma vez que essa passagens não são confirmadas (eu e a Srta.IF só embarcamos se tiver sobrando lugar no voo) fica praticamente impossível fazer planos concretos. Na semana que vem embarco para Bali e vou sem lugar para ficar, tentarei resolver durante o voo (usando a internet do avião) ou quando estiver em trânsito no aeroporto. Sem contar que 15 dias depois vou para a Australia e mais uma vez sem a menor ideia de onde ficarei e quando a Srta.IF irá se juntar à mim por lá… falando nisso ela fez o pedido de demisso hoje, vai trabalhar até o dia 6 de março e depois volta para casa e passará um tempo com a família antes de me encontrar na Austrália. Enfim, sei que aos olhos de quem está de fora tudo isso pode parecer problemas infundados mas essas incertezas estão me incomodando porque tenho um orçamento a cumprir, não posso simplesmente ficar desperdiçando dinheiro com diárias de hotel perdidas, aluguel de carro não utilizado, seguro de viagem jogado no lixo, etc... mas oque mais me assusta é não ter a certeza se terei renda suficiente para me manter na Austrália de forma confortável. A verdade é que nesse momento estou levando uma vida bem distante daquele ano de tranquilidade nas praias de Bali que eu planejei inicialmente... gastando pouco, relaxado e morrendo de tédio em frente ao mar!rs (Assim que essa fase passar preciso simplificar e muito minha vida, ela está muito complexa pro meu gosto.)


   E falando nisso um desafio que eu esperava enfrentar mas que simplesmente não deu as caras ainda era o tédio, por várias vezes me perguntei “oque eu vou fazer com tanto tempo livre?!?!”. Não sei a resposta ainda mas ando tão ocupado com coisas pequenas que quando vejo o dia já acabou. Em um dia típico acordo cedo e vou no parque da cidade me exercitar, depois tomo um banho e ainda dá tempo de tomar café da manhã com os meus pais que também estão no Brasil. Depois aproveito para navegar na internet e “trabalhar” no blog, quando vejo já é hora de dar uma parada para ir à cidade resolver alguma coisa e fazer um lanche rápido. Gostaria de me exercitar na parte da tarde também mas até agora a vontade não apareceu….rs Então às vezes assisto à um filme ou série do Netflix. No final do dia paro para um café com os meus pais e à noite janto em casa ou saiu pra encontrar uns amigos. Quando vejo o sono já vem chegando e normalmente acabo dormindo cedo. Em dias atípicos eu frequento festa de família, vou ao litoral com a Srta.IF, levo e busco gente no aeroporto, conserto coisas em casa, shopping, aniversário dos amigos, encontro de ex-colegas de trabalho, etc… o primeiro mês foi realmente movimentado e nem sinal do tédio que eu temia tanto.


   Como disse no começo do post, já posso afirmar com certeza absoluta que não me arrependo da decisão tomada e nem sinto falta da minha antiga rotina de trabalho, ainda sim como participo do grupo de WhatsApp dos colegas de profissão lá do deserto as vezes bate uma certa “inveja branca” (se é que isso realmente existe) de ver todos eles engajados e progredindo profissionalmente. Eu fiz a minha escolha e para isso abri mão de um futuro profissional brilhante, não acho que irei me arrepender mas a pulga atrás da orelha irá sempre me acompanhar.


   De resto a saúde está muito melhor, tenho seguido a dieta e apesar de estar estagnado na perda de peso ainda sim as dores de cabeça sumiram e dormir quando estou com sono pra depois acordar sem despertador é um sonho. Que venha então o segundo mês de IF e que traga Bali e Australia com ele!



Sr.IF

Comentários