Conheça a "Spring FI" ou "IF Mola"...

   Uma vez escrevi como existem vários tipos de Independência Financeira (IF), apesar de normalmente colocarmos tudo no mesmo “balaio de gato” os especialistas no assunto gostam de criar e classificar diferentes estilos de IF, então na época resolvi organizar todas essas classificações em um único post chamado “Os diversos tipos de Independência Financeira (IF)…”. Mas hoje me toquei que ando praticando uma estratégia que apesar de óbvia não se enquadra em nenhuma classificação que encontrei até agora e por isso vou batizar de “Spring Financial Independence(FI)” que pode ser traduzido como “Independência Financeira Mola”… isso mesmo mola, igual aquelas que se comprimem e depois esticam. Confesso que o nome ficou horrível em português mas até simpático em inglês, porém é como eu me peguei vivendo nesses primeiros meses de FIRE (Independência Financeira e Aposentadoria Antecipada).





   Quando planejei minha “aposentadoria” pensava em viver de um fluxo contínuo de renda passiva para cobrir um valor constante de gastos, tanto é que cheguei até a pesquisar preços em Bali e assim estimar quais seriam meus gastos mensais (você pode ler no post "Orçamento para a Independência Financeira…"), tudo deveria correr de forma extremamente estável e sem grandes picos de renda ou gastos. Mas na prática desde que optei por passar esse ano inteiro viajando os gastos foram absolutamente irregulares, tanto para mais como para menos. Na verdade de maneira consciente eu poupei o máximo que pude em janeiro e fevereiro porque sabia que quando viesse para a Austrália os gastos iriam inevitavelmente disparar. E isso obviamente refletiu diretamente no meu padrão de vida, se nos meses de janeiro e fevereiro eu fiquei morando “precariamente” na casa dos meus pais e depois no começo de março me hospedei em um hotel lixo em Bali, de agora em diante estou com um bom dinheiro para levar uma vida mais confortável na Austrália graças ao que economizei nos dois meses anteriores. Assim como uma mola que é comprimida para depois expandir eu comprimi os gastos em janeiro e fevereiro para agora expandir (com força) nos próximos dois meses.


   Como a Paula Pant gosta de dizer no slogan do podcast dela, “você pode ter qualquer coisa mas não pode ter tudo”… e isso tem sido o meu lema nesse começo de IF. Virou questão de honra não colocar a mão em um único centavo do bolo principal, seja no Brasil, em Bali ou na Austrália eu vou viver “apenas” do remanescente da renda passiva após reinvestir 15% dos gastos do mês anterior, nem que para isso eu tivesse que viver um tempo em um quartinho de hotel para depois poder levar uma vida mais requintada nos meses seguintes. Minha extravagância de passar dois meses aqui na Austrália esta sendo custeada pela frugalidade dos meses anteriores, por economizar morando na casa dos meus pais e depois no Cheap Hotel em Bali agora tenho disponível até R$650 por dia para viver por aqui… parece muito mas se eu me descuidar fica fácil, fácil gastar tudo isso só em acomodação e comida.  Ainda sim é um valor extremamente confortável e espero não precisar gastar tudo isso visto que até agora tenho sido bastante frugal por aqui comprando comida só em supermercado e cozinhando em casa. Vamos ver como ficará o fechamento mensal desse mês...


   Após retornar para Bali meu orçamento deve voltar ao normal e quem sabe conseguirei que a mola da IF se comprima novamente para que eu possa expandir um pouco os gastos na próxima viagem que serei obrigado a fazer, lembrando que tenho que sair do país a cada 60 dias para que meu visto seja renovado. Resumindo, tudo que eu reclamei no meu post sobre a primeira semana que passei em Bali no hotelzinho de R$46 reais vocês podem apagar da memória, o sacrifício valeu cada centavo que está sendo gasto aqui na Austrália, sei que estou a pouco tempo por aqui mas já elegi esse lugar como o melhor lugar do mundo para se morar, nunca ví tanta qualidade de vida em um lugar só. Falo mais sobre isso em um post futuro…



Sr.IF