Meu maior erro nesse começo de Independência Financeira...

Essas viagens que ando fazendo no meu primeiro ano como FIRE me abriram os olhos para duas coisas, vida de nômade cansa (e talvez não seja pra mim) e tentar viver como turista é caro (e muito caro!)… enquanto a primeira coisa não tinha como eu prever, a segunda me espanta até hoje como é que conseguiu me pegar de surpresa. Era obvio que querer viver onde pessoas passam férias iria custar caro!  Já não é novidade para ninguém que estou lutando para manter os gastos dentro do orçamento do mês mas agora parece que até a hora do meu retorno à Bali irei perder essa queda de braço simplesmente porque o custo de morar de Air B&B em Air B&B está bem maior que o planejado, tudo por conta de que todas as cidades que estou visitando são turísticas, porém mesmo quando regressar à Bali não irei escapar do problema de querer me estabelecer mais uma vez em um local turístico.





   Acho que esse tem sido meu maior erro nesse começo de Independência Financeira, se tivesse ficado quietinho na minha cidadezinha no interior de São Paulo e morando no meu próprio imóvel, não teria me colocado nessa sinuca de bico. Como disse em posts anteriores mesmo em Bali eu já estava encontrando dificuldades para alugar um imóvel que não prejudicasse muito meu planejamento, e olha que no meu orçamento inicial pretendia gastar mil dólares por mês em moradia por lá, mas já vi que assim como aqui na Austrália terei que aumentar o valor estimado com esse tipo de gasto. Por aqui na terra do canguru eu tinha em mente gastar em torno de 50 dólares por dia com Air B&B e agora esse valor já subiu para 75 dólares e mesmo assim tem sido bem difícil encontrar lugares que ofereçam um bom custo benefício (na verdade em Sydney não existe nada abaixo desse patamar de preços). Já estou praticamente aceitando a derrota de que até o final dessa viagem acabarei gastando mais do que arrecadei em renda passiva, todo o fundo Tio Patinhas e ainda precisarei cometer o sacrilégio de colocar a mão no principal. Um verdadeiro sinal de alerta de que não dá para continuar assim por tempo indeterminado, sem precisar dizer que isso está me incomodando bastante e de certa forma até estragando um pouco do clima da viagem.


   Mas então oque fazer? A solução mais óbvia é não inventar moda de querer morar em locais turísticos, acho interessante como sempre que pensamos em aposentadoria nos imaginamos em um local tranquilo e paradisíaco bem de frente para a praia não é mesmo? E inconscientemente foi isso que eu acabei escolhendo para mim quando comecei a viver a Independência Financeira e Aposentadoria Antecipada. Mas confesso que não posso reclamar, tenho tirado o máximo de proveito dessa decisão e passado a maior parte do meu tempo perto do mar, fazendo caminhadas incríveis por praias fantásticas e isso tem feito muito bem para a minha saúde física e mental. Acho que acertei em cheio quando segui meus instintos e decidi passar esse começo de IF no litoral, mas também errei ao subestimar o custo de morar em locais turísticos e isso torna a situação insustentável à longo prazo.


   Mas antes de desistir dos meus planos de viver confortavelmente em algum local turístico coloquei a cabeça para funcionar e pensei comigo mesmo “mas como é que os locais conseguem viver por essas bandas se o custo de vida é tão caro?”, obviamente esse pessoal não mora de frente para a praia em mansões luxuosas e não sai todas as noites para comer fora em barzinhos da moda. Resumindo, eles não vivem como turistas. Mas na semana passada ao me hospedar em um Air B&B muito bem localizado me deparei com uma solução extremamente interessante, o casal que nos hospedou tinha uma bela casa praticamente de frente para a praia e construiu uma pequena edícula anexa ao imóvel com entrada privativa, quarto, cozinha, banheiro e uma pequena varanda. Fizeram o anexo tão bem construído que a privacidade tanto nossa quando a deles foi total, bem diferente de quando alguém coloca um quarto da casa para alugar. Com isso imagino que eles consigam um bom fluxo de caixa para sustentar o imóvel que fica bem de frente para a praia onde moram, uma verdadeira jogada de mestre! A muito tempo atrás escrevi um post sobre House Hacking e como é possível morar de graça, mas essa ideia nunca me agradou devido à falta de privacidade que é ter hospedes em casa. Porém ao ver a solução adotada por esse casal e sua pequena edícula que virou praticamente um segundo imóvel dentro da propriedade voltei a me animar com a ideia de bancar parte do meu custo com moradia através de algo similar ao que eles fizeram, isso com certeza abriria as portas para me estabelecer em uma região turística já que obviamente é nesse tipo de local onde Air B&Bs são mais requisitados.


   Enfim, vou tentando de todo jeito manter o orçamento sob controle mas como disse a derrota por ter que gastar mais do que arrecadei em renda passiva já me parece inevitável, a não ser que daqui pra frente os preços dos alugueis caiam substancialmente conforme me aproximo do sul da Australia, terei que infelizmente usar parte do principal para cobrir as despesas. Ao voltar para Bali espero conseguir colocar as contas em ordem e quem saber repor um pouco do principal perdido por aqui. Ainda quando estiver por lá passarei a pensar seriamente como irei lidar dali pra frente como esse problema da moradia, ou me contento com um local menos badalado ou parto para uma solução criativa como House Hacking, só sei que preciso corrigir o rumo da minha Independência Financeira o mais cedo possível… ou corro o risco de ter nadado, nadado e nadado para no final morrer na praia ou ver minhas finanças naufragarem.


SrIF

Comentários