Recebendo herança...

   A quase um ano atrás escrevi um post chamado “Bônus que podem contribuir para a IF…”, nele comentei que ao longo da vida eu ainda poderia receber alguns “bônus” financeiros que ajudassem na conquista e manutenção da Independência Financeira. Entre os possíveis bônus destaquei dois na época, herança (sempre batendo na madeira) e um processo trabalhista movido contra meu antigo empregador, porém deixei de lado alguns outros como a possível valorização do meu imóvel e a venda do automóvel (na época o considerava o passivo que realmente carro é). O tempo passou e reparei que já comecei a recolher alguns desse bônus, infelizmente a ação trabalhista ainda irá se arrastar por uns bons anos mas outros bônus já começaram a dar o ar da graça.







   Gosto sempre de ser conservativo com relação aos meus números financeiros, eu poderia muito bem desde o princípio inflar o valor do meu imóvel ou mesmo colocar o automóvel como parte do meu patrimônio, mas decidi não me enganar e deixar as coisas irem acontecendo para só contabilizar o valor do veículo o dia que fosse realmente vendido. E não deu outra, embora o carro valesse mais de 70 mil só consegui vendê-lo por 35 mil quando deixei meu emprego no exterior e saí do país (falei sobre isso nesse post AQUI), mas mesmo com o prejuízo na venda "coletei" meu primeiro bônus para a manutenção da IF e se não me engano essa grana entrou na contabilidade do fechamento de janeiro.


   Porém esse mês fui pego de surpresa com a notícia de que receberia o segundo bônus, uma herança. Calma que ao contrário do que parece ninguém morreu!rs Vou chamar de "herança em vida" e está vindo do meu pai, ele recebeu uma boa quantia proveniente de um antigo processo judicial e após refletir um pouco achou melhor distribuir esse valor em forma de herança entre eu, meu irmão e minha mãe. Mesmo em meio aos nossos protestos (eu particularmente gostaria que ele ficasse com esse dinheiro para aproveitar a própria aposentadoria) ele decidiu que irá distribuir parte desses recursos já na próxima semana, segundo meu pai a única coisa que ele iria fazer com o dinheiro seria deixar investido e de um jeito ou de outro acabaria virando herança. Mas qual a vantagem de transferir esses recursos ainda em vida? Simples, impostos e honorários do advogado que um dia fará o inventário após sua morte. Efetuando a transferência ainda em vida será possível para ele transferir esses recursos de forma “mais discreta” uma vez que tanto eu como meu irmão moramos no exterior, alem de que obviamente esse valor não entrará no inventario após a sua morte diminuindo assim os custos com honorários e impostos envolvidos. Em outras palavras, o dinheiro permanecerá com nossa família e não ira para no bolso do governo ou advogados.


   O valor que receberei não é nada que mudará a minha vida mas é sempre bem vindo, ainda mais quando aparece de forma in esperada, serão 40 mil reais. Mas oque fazer com essa grata surpresa? Dar entrada em um carro novo? Subir o padrão de vida da minha viagem aqui na Austrália? Talvez um celular novo? Quem já é leitor do blog a um tempo e conhece a cabeça do Sr.IF já sabe a resposta…rs É lógico que vai virar investimento no exterior! Inicialmente deixarei parado até fechar o aluguel do imóvel em Bali (lá eles exigem o pagamento integral do contrato e terei que arcar com 6 meses de aluguel de uma vez só), mas depois investirei todo o restante segundo minha estratégia de alocação recursos no mercado americano conforme já falei nesse post AQUI. Resumindo, de um jeito ou de outro o dinheiro ficará guardado e obviamente sempre à disposição dos meus pais em caso de emergência, afinal uma hora filhos tem que parar de dar prejuízo na vida!rs Já com relação à parte do meu irmão eu não sei oque ele fará com ela já que FIRE não é o forte dele…rs


Sr.IF

Comentários