Porque hoje eu mereço…

   Ontem ouvindo algumas reclamações da minha mulher (que nunca são poucas) uma me chamou a atenção em especial, “todas as minhas amigos compram coisas para se recompensarem, e como eu trabalhei duro esse mês não sei se deveria me recompensar com uma bolsa ou um telefone novo?”, essa frase me doeu os ouvidos de tantas maneiras diferentes que preferi ficar de boca calada, mas isso não me impediu naquele instante de pensar em um post novo para o blog!rs





   O mais óbvio naquela frase é a comparação com as amigas e a necessidade de se manter no mesmo nível de consumismo dentro de círculo de amizades, sei como é difícil não se comparar com pessoas próximas da gente mas a muito tempo eu já me livrei desse grande inimigo da independência financeira. Porém existe algo bem mais sutil nessa frase que parece inofensivo mas que pode ser um inimigo da IF até maior doque tentar manter o mesmo nível de consumismo dentro do círculo de amizades, estou falando do “hoje eu mereço…”. Quem nunca disse ou pensou essa frase? E ela não vale só para dinheiro não, eu mesmo sou culpado pois depois de um dia ruim no trabalho penso comigo “o dia foi difícil hoje, eu mereço uma pela pizza com cerveja.” ou então “malhei tanto na academia hoje, eu mereço comer um pote de Haagen Daz.” Já deu para perceber como esse tipo de pensamento coloca qualquer dieta em risco? O mesmo acontece na sua vida financeira caso você caia na armadilha do “hoje eu mereço”.


   O pensamento da pessoa “comum” é ver o salário como um parâmetro de poder aquisitivo e não como uma ferramenta para acumular patrimônio, o dinheiro entra na conta bancária e ao invés de imaginar o quanto vai poder poupar só consegue visualizar o quanto vai sobrar para gastar depois de pagar as contas do mês. Junte-se a isso um mês de muito trabalho e pronto, frases do tipo “eu trabalhei tão duro esse mês que mereço comprar pra mim um iPhone novo” começam a surgir. A primeira vista pode parecer sim que nada é mais justo do que comprar um agrado para sí depois de um mês suado no trabalho, ainda mais se entraram umas “horinhas extras” na conta, não é mesmo? Só que o mesmo raciocínio que se aplica à uma pessoa fazendo dieta também aplica-se à vida financeira, a pessoa trabalhou duro para ganhar um dinheiro extra e ao invés de investir em algum ativo que irá ajudar a trabalhar menos no futuro, gasta com algo desnecessário que irá força-la a continuar trabalhando (as vezes até mais dependendo se o dinheiro foi usado para dar entrada em uma dívida ainda maior como a de um carro). É como se matar na academia para perder peso e depois jogar todo o esforço no lixo ao se esbaldar de sorvete.


   Essa frase é extremamente nociva para quem procura sair da corrida dos ratos e atingir a independência financeira, pois coloca a pessoa em um verdadeiro círculo vicioso onde para pagar pelo “mimo” ela se vê obrigada a trabalhar mais e ao trabalhar mais se vê no direito de comprar mais coisas para justificar tanto trabalho, afinal dinheiro é pra isso não é mesmo? Ninguém vai levar nada para o caixão… E assim o processo se perpetua onde por exemplo compramos uma roupa cara para ir ao escritório trabalhar em algo que não gostamos com o intuito de poder pagar per essa roupa, ou então aquele carro confortável que precisamos para enfrentar o congestionamento até chegarmos ao serviço, emprego esse que precisamos ter para ganhar dinheiro e pagar pelo carro.


   Como disse eu mesmo sou “vítima” constante do “hoje eu mereço…” em se tratando de alimentação, prefiro mil vezes depois de um dia difícil no trabalho me recompensar com uma boa picanha na grelha doque com uma salada de alface e vinagre, é preciso muita disciplina para não cair na armadilha da auto-recompensa uma vez que ela é sorrateira e aparece no momento em que estamos mais vulneráveis como depois de um dia duro no trabalho.


Sr. IF365

Comentários