6 meses de Independência Financeira e sem trabalhar...


   Hoje completam exatamente 6 meses desde que deixei meu emprego em 20 de janeiro de 2019, foram 180 dias que passaram voando e já parece que a última vez que o despertador tocou no meio da noite para eu ir trabalhar foi a mais de uma década atrás, sensação esquisita essa… Fico imaginando o quanto da prática eu já perdi se tivesse que voltar a trabalhar, me lembro que o simples fato de tirar um mês de férias já era o suficiente para eu retornar ao trabalho extremamente lento para executar as tarefas corriqueiras de cabine. Imagino então agora depois de 6 meses…


   Quem acompanha o blog com frequência sabe que esses primeiros 6 meses foram repletos de altos e baixos, como qualquer pessoa normal tive momentos muito bons e outros ruins. Para quem acredita que tudo vire um mar de rosas da noite para o dia depois da conquista da independência financeira já pode ir esquecendo, é a vida que segue e novos desafios que aparecem. Mas fazendo um rápido balanço desse período posso dizer que tudo está indo na direção certa, a renda passiva foi mais que suficiente para cobrir minhas despesas sem precisar fazer muito esforço, a média dos rendimentos ficou em R$18.800,00 por mês… vamos concordar que isso dá e sobra para um casa sem filhos tocar a vida. E o mais incrível é imaginar que esse dinheiro pinga na conta sem precisar trabalhar, esse negócio de IF parece até bruxaria!rs


   Se por um lado a situação financeira está sob controle já a vida pessoal continua necessitando de ajustes, eu e a Srta.IF nos encontramos literalmente a meio mundo de distância tentando obter os documentos necessários para que ela venha em definitivo para o Brasil. E como todo mundo sabe relacionamento à distância tem seus perrengues que eu prefiro não expor aqui, mas é bem difícil e não recomendo para ninguém. E enquanto não resolvermos a documentação dela fica tudo que meio estagnado em minha vida, por isso ando com tempo de sobra para escrever no blog, me exercitar e até aprender a fazer podcast. Esses três itens resumem bem como tem sido a minha rotina de “aposentado” durante a semana, como todos os meus amigos estão trabalhando de segunda a sexta eu acabo me entretendo com meus próprios afazeres. Já quando o final de semana chega é uma alegria só, pela primeira vez na vida desde que comecei a trabalhar posso curtir os finais de semana igual a uma pessoal normal. Estou tão deslumbrado com a situação que virei meio que um Yes Man, igual aquele filme do Jim Carrey onde ele diz sim para tudo que convidam ele a fazer…rs Da noite pro dia passe de “não, não vai dar para ir tenho que trabalhar” pra “bora!”.





   Outra grande mudança que notei nesses primeiros 6 meses foi como o jogo da IF virou puramente psicológico, de repente me vi sem emprego e por mais que eu tivesse sonhado com esse dia é impossível não ser tomado pelo medo, já arrisco a dizer que o frio na barriga passou mas o “mindset” de escassez não. Mesmo com todos os artifícios que criei para combater hábito de poupar compulsivamente, ainda sim vivo constantemente com a sensação de que poderia gastar menos para não faltar lá na frente. Já cansei de ler estudos relatando que gastar dinheiro pode gerar literalmente uma dor física na pessoa, porém sempre imaginei que a intensidade dessa dor estivesse associada ao quanto que essa mesma pessoa sofre para ganhar dinheiro, como chamam por aí o “suado dinheirinho”. Na minha cabeça uma vez que eu parasse de trabalhar e passasse a viver exclusivamente da renda passiva seria muito menos doloroso gastar dinheiro, afinal o que vem fácil vai fácil não é mesmo? Pior que não foi isso que aconteceu, mesmo não tendo que trabalhar pelo dinheiro ainda sim dá uma sensação ruim todas as vezes que coloco a mão no bolso justamente por saber que não posso mais contar com a renda do trabalho… como disse o jogo virou psicológico e chega a ser absolutamente irracional esse comportamento.

   Entre erros e acertos algumas decisões foram muito boas, uma delas foi começar a dar uma mesada para a Srta.IF conforme descrevi no post "Adultos recebendo mesada, funciona?". Isso me tirou um peso das costa e acabou com as discussões a respeito de dinheiro, agora ela faz as "coisas de mulher" dela e eu nem fico sabendo. Caso alguém se encontre em situação semelhante eu absolutamente recomendo adotar essa solução.


   Muito bem, que venha o post de aniversário de um ano da IF! Estou bastante empolgado com esse segundo semestre e espero poder colocar em prática umas ideias “malucas” que tenho por aqui. Não sei ainda quando darei entrada no processo de migração para Portugal porém com certeza não mexerei com isso antes do ano que vem, quero ter um pouco de sossego… 


Sr.IF

Comentários