Só a diversificação salva… será mesmo?

   Quantas vezes você já ouviu por aí a celebre frase “só a diversificação salva”? Acho que principalmente nós que sonhamos um dia viver de renda, tentamos de todos os jeitos possíveis e imagináveis nos protegermos do futuro incerto que rege o mundo das finanças, tememos desde um cenário de inflação fora de controle até o total colapso do sistema bancário Brasileiro. Alguns ainda vão mais longe e tentam se precaver da queda do império americano (que segundo dizem por aí estaria com os dias contados) ou mesmo da destruição da Europa por um meteoro vindo do espaço. Enfim, perder dinheiro é sempre ruim mas no caso de quem sonha em viver de renda (ou mesmo já esta vivendo de renda), esse medo de perder dinheiro tem realmente um fundamento e dependendo da situação acaba virando questão de vida ou morte literalmente, imagine o Sr.IF com 65 anos perdendo tudo por conta de um confisco do governo brasileiro? Como é que ele iria sobreviver? Caso ele não tivesse diversificado uma parte dos investimentos no exterior com certeza ele não sairia dessa. Mas será que só a diversificação é realmente a chave do sucesso para uma pessoa que deseja ser independente financeiramente?





   Apesar de todos os cenários acima (incluindo o do meteoro atingindo a Europa) serem possíveis de tornarem-se realidade eu diria que são pouco prováveis de realmente acontecerem, mas isso não impede que pela própria natureza humana nós investidores não tentemos nos precaver de absolutamente tudo que nossa mente possa interpretar como ameaça à nossa independência financeira. Lembro que meu plano inicial de IF consistia em alocar todos os recursos em Tesouro Direto IPCA2050, assim estaria protegido da inflação e viveria apenas dos cupons semestrais para o resto da vida, e na minha cabeça esse era o plano infalível pois nenhum investimento no Brasil é mais seguro que os títulos da dívida pública… com o tempo e observando nosso Brasil rolando ladeira abaixo comecei a criar cenários de calote onde não só eu deixaria de receber os cupons semestrais como também perderia todo o principal devido ao confisco por parte de um governo comunista. Nem preciso dizer que entrei em pânico! Eu tinha colocado literalmente todos os ovos na mesma cesta e parecia cada vez mais que essa cesta estava prestes a ser derrubada. Acabei fazendo o impensável e da maneira menos recomendada, do dia para a noite migrei mais de um milhão de reais do Tesouro IPCA para FIIs… um movimento absurdamente brusco mas que me permitiu voltar a dormir a noite pois agora eu estava "diversificado".


   E dormi muito bem até a crise brasileira se aprofundar ainda mais e novas ideias de que o sistema econômico brasileiro iria entrar em colapso começaram a pipocar em minha mente, era véspera de eleições e o dólar disparava a cada nova pesquisa que o William Bonner divulgava na TV. No meio desse turbilhão tudo que eu desejava era tirar todo meu patrimônio do Brasil e mandar para os EUA custe o que custasse, nem que fosse com o dólar a R$4,16… felizmente dessa vez eu respirei fundo e apostei que o desfecho eleitoral apesar de apertado ainda sim seria positivo. Mesmo assim daquele dia em diante eu decidi que passaria a deixar uma parte representativa do meu patrimônio no exterior, não faria nenhum movimento brusco mas sim seguiria a estratégia que descrevi no post “Hora de investir no mercado americano…”.


   Com o plano de diversificação no exterior em prática eu acreditava que agora sim dormiria tranquilo, e foi oque aconteceu…. durante algum tempo! Logo então começaram a surgir problemas relacionados à economia americana e o possível colapso do gigante por conta do enorme endividamento público, guerra comercial, etc... E agora? Vou perder tudo que tenho lá fora? E se o gigante cair, vai arrastar o Brasil junto com ele? Enfim meus amigos, chega uma hora em que a gente tem que cair na real e aceitar que “nem a diversificação salva”. Sabe qual é a única coisa que salva quem decidiu seguir o caminho da Independência Financeira e Aposentadoria Antecipada? F-L-E-X-I-B-I-L-I-D-A-D-E.


   A flexibilidade é a única tábua da salvação que nunca irá nos abandonar, a pessoa que é flexível tanto com seus gastos como também com o padrão de vida é aquela que realmente estará protegida de qualquer crise financeira. Já aquelas que morrem de medo de verem os planos de IF falharem, são aquelas que nem cogitam a possibilidade de terem que viver de maneira mais simples ou mesmo sofrida, na verdade a grande maioria desses indivíduos dificilmente terão a coragem de jogar tudo para o alto e experimentar a vida FIRE, pois em suas mentes nunca estarão diversificados o suficiente para enfrentar as possíveis catástrofes que venham a acorrer em um futuro imaginário. Se esquecem que “só a flexibilidade salva” e que assim como no mundo animal, aqueles que não conseguem se adaptar às novas condições são literalmente extintos.





   Não estou dizendo aqui para “deixar a deus dará” e ser irresponsável com as finanças, mas sim que mesmo tendo plano A, B ou C a flexibilidade sempre será a melhor (e muitas vezes)  a única saída para uma catástrofe financeira que possa nos atingir. Tem um canal de YouTube que me inspira muito pois o dono dele é um verdadeiro exemplo de quão flexível alguém consegue ser, ele literalmente realizou o sonho de viajar o mundo (mais precisamente pela Europa) praticamente sem dinheiro. Confesso que não invejo o estilo de vida que ele leva, mas é de certa forma reconfortante saber que mesmo sem um centavo no bolso é possível realizar sonhos, desde que você seja flexível. Deixo o link do canal dele “Via Infinda” juntamente com a frase original que inspirou esse post “Flexibility is the only true security”.


Sr.IF