Meu orçamento está sendo corroído...

   Estamos na última semana do mês de agosto e uma coisa começou a me chamar a atenção, meus gastos nesse mês foram absurdamente elevados. No momento em que escrevo esse post já gaste exatamente R$9.639,78 e o mês nem terminou ainda. Quando olho para mês anterior onde gastei R$7.200,00 inevitavelmente começo a me perguntar onde foram parar R$2.800?!?!? (Considerando que chegarei aos R$10 mil esse mês já que hoje após terminar esse post vou ao supermercado). Quem me acompanha através do blog sabe muito bem que anoto absolutamente todos os meus gastos, desde os centavos que dou para o guardador de carro até a compra do mês que faço no supermercado tudo é inserido no aplicativo do meu celular e dessa forma seria fácil responder a essa pergunta, porém quando bato o olho nos números nada me salta aos olhos. Simplesmente não aconteceu nenhum gasto exorbitante durante o mês e que eu pudesse colocar toda a culpa, a verdade é que pequenos gastos se acumularam e igual à camundongos sorrateiros eles corroeram meu orçamento sem que eu percebesse, infelizmente esse tipo de situação é bem mais perigosa do que grandes gastos esporádicos uma vez que é difícil encontrar e cortar o mal pela raiz.





   Achei os gastos do mês anterior até que condizentes com o padrão de vida que estou levando, como disse foram R$7.200,00 ainda morando na casa dos meus pais que está vazia enquanto eles vivem em Portugal. Já 10 mil reais me assustou pelo simples fato de que não fizemos extravagâncias, então o que mudou de um mês para o outro? Para começar a Srta.IF se juntou à mim no Brasil… então é de se esperar que alguns gastos cresçam, água, luz e alimentação por exemplo. Outra coisa que mundo é que eu finalmente decidi relaxar um pouco com relação aos preços das coisas, notei que eu andava muito estressado todas as vezes que tinha que gastar dinheiro e isso estava me fazendo mal. Resultado foi que apesar de continuar anotando todos os gastos eu parei de ficar olhando o preço de tudo quando fui ao supermercado e ainda fiz questão de sair para comer fora pelo menos uma vez por semana (entre o pastel de R$4 que comemos na esquina até o jantar de R$252 em Campos do Jordão, comemos fora de casa 22 vezes). E logo de cara esse descaso refletiu no item de maior gasto no mês, alimentação. Somando-se compras de supermercado com sair para comer fora, no mês passado gastei um total de R$1.540,00 contra R$ 2.900,00 desse mês, ou seja a conta dobrou! Tudo bem que o número de “bocas” a serem alimentadas também dobrou com a chegada da Srta.IF mas não acho que seja essa a conta correta, pensando assim caso a gente tivesse um filho a conta triplicaria?!?!rs Resumido, só com gastos em alimentação foram R$1.560,00 a mais esse mês, o que ainda não justifica a diferença de R$2.900 totais de um mês para o outro. Então onde foram parar os outros R$1.340,00?


   Olhando novamente na minha lista de gastos nada mais me chamou a atenção logo de cara, mas ao analisar cuidadosamente cada categoria apareceram mais “ratos” que silenciosamente corroeram meu orçamento de agosto. Foram gastos esporádicos e não corriqueiros mas que somados causaram esse rombo de quase 10 mil reais, coisas como a passagens da Srta.IF para vir ao Brasil (R$489), diária de hotel em São Paulo para comparecer à um evento de família (R$320), uma segunda bicicleta para a Srta. IF me acompanhar nas idas ao comércio local (R$260), presente de aniversário de um sobrinho (R$250), tradução juramentada dos documentos da Srta.IF (R$400), etc… tá vendo como não precisa fazer extravagancias para perder o controle das finanças? Só nesses itens somam-se mais R$1.319,00 e praticamente chegando aos que faltava para justificar o aumento dos gastos.


   Apesar de estar morando de graça nas casa vazia dos meus pais ainda sim arco com alguns custos como eletricidade (R$290), água (R$78), internet (R$130) e faxineira (R$220) que somam um total de R$718, nada comparado a morar de aluguel o que contribui muito para que meu custo de vida ainda esteja bem distante da minha renda passiva, mas com certeza essa situação não irá perdurar por muito tempo e assim que resolver a vida burocrática da Srta.IF aqui no Brasil vai ser hora de colocar o “plano Portugal” em prática e isso me assusta um pouco pois se eu estivesse tendo que arcar com um aluguel os números começariam a ficar apertados.


   Essa semana tive o prazer de gravar um episódio do podcast com o Cowboy Investidor e que irá ao ar no próximo final de semana, quando ele me disse que o custo de vida dele fica entre R$2.500 e R$3.000 automaticamente eu passei a me perguntar onde é que eu estou “errando”, a diferença é muito grande! E olha que eu tenho a vantagem de morar “de graça” e em uma cidade pequena do interior. Talvez meu tempo fora do país me deixou alienado ao custo de vida real no Brasil ou então como já disse em um post anterior minha frugalidade é uma farsa, só sei que não estou satisfeito com os gastos desse messe, principalmente por não ter feito extravagâncias… quem sabe vocês conseguem ver algo que eu não esteja vendo, segue a lista de gastos que superam os R$100:

Mesada da Srta.IF (10% da renda passiva): R$1.780
Supermercado: R$1.593
Comer fora: R$1.366
Saúde (Plano+Remédios): R$1.087
Transporte (Gasolina+Compra da bicicleta): R$960
Moradia (Água+Luz+Internet+Limpeza+etc): R$813
Passagem Aérea: R$490
Vistos e documentações: R$462
Hotel: R$320
Presentes: R$250
Entretenimento: R$140


  Mas nem tudo é má notícia, acabei de concluir a mudança do nosso plano de saúde aqui para o Brasil e vou economizar R$300 por mês nessa migração, os custos com transportes também irão cair já que o gasto com a nova bicicleta foi esporádico, para terminar não pretendemos gastar com passagens aéreas tão cedo já que até resolver a documentação da Srta.IF não tem como sair do Brasil. Então talvez setembro seja um mês melhor nesse sentido...

 Sr.IF

Comentários