Como se tornar menos materialista…

   Hoje quero falar sobre como uma pessoa pode se tornar menos materialista, apesar de não me julgar excessivamente materialista eu já tive épocas da minha vida onde o consumismo desenfreado tomou conta do meu dia a dia. Isso aconteceu em meados de 2010 quando fui promovido à copiloto de voos internacionais na TAM e com a facilidade de estar quase todas as semanas nos EUA onde “tudo é barato”, cabei gastando rios de dinheiro com coisas que não precisava naquele momento e até com algumas que nunca cheguei a usar! Naquela época eu entrava na TARGET sem precisar comprar nada em específico e sistematicamente percorria todos os corredores procurando por coisas que chamassem minha atenção, se isso não for sintoma de consumismo grave eu não sei oque seria…





   É obvio que quanto menos consumista uma pessoa for mais chances ela terá de acumular riqueza e conquistar a independência financeira, porém as vezes esquecemos que ao criar um hábito de consumo nocivo estamos também dificultando nossa transição para a vida pós- independência financeira que muitas vezes irá exigir a redução do padrão de vida. Sinto isso na pele até hoje quando me pego lembrando como era bom poder viver sem se preocupar com dinheiro na época em que trabalhava, gastava praticamente sem precisar fazer contas ou mesmo me privar de luxos como celular novo, produtos caros no supermercado, etc… sei que aos poucos vou me acostumar com a nova realidade (que seria um sacrilégio chamar de sofrida) mas ainda tenho muitos resquícios da vida anterior a serem superados.


   Após a independência financeira eu já fiz praticamente 3 mudanças de países e algo me chamou a atenção, eu tenho muita coisa e todas as vezes que fiz as malas acabei deixando uma tonelada de coisas para trás. Com isso acabei filtrando um pouco o que era desnecessário mas ainda sim sinto que tenho mais do que preciso, isso é o materialismo sorrateiramente tentando tomando conta da minha vida. Mas você já parou para pensar o porque somos materialistas? Chequei à conclusão que na maioria das vezes quando compramos algo sem necessidade estamos na verdade comprando a sensação de bem estar ao adquirir tal bem, é impossível negar que quando saímos da loja com aquele sonhado produto a gente não seja tomado pela aquela sensação de bem estar e as vezes até euforia. Essa sensação dificilmente irá durar mais que alguns dias (ou se der sorte algumas semanas) para então depois desaparecer por completo, a partir daí um novo ciclo de consumismo recomeça. Então já fica óbvio que a primeira dica para se tornar menos materialista é conseguir colocar o racional para funcionar, ao invés de se deixar tomar pela sensação boa ao imaginar-se comprado um produto a pessoa deve direcionar sua atenção ao fato de quão realmente tal compra será útil e necessária em sua vida.


   Outro fator fortemente relacionado ao materialismo é quando compramos coisas para impressionar outras pessoas, a celebre frase “compramos coisas que não precisamos, com dinheiro que não temos, para impressionar pessoas de quem não gostamos” descreve muito bem esse comportamento corriqueiro. Concordo que às vezes um produto de marcar pode ser melhor ou mesmo mais eficiente que um similar mais barato, porém muitos acabam escolhendo roupas, bolsa ou relógio de marca já pensando no status que aquilo poderá trazer quando você postar aquela foto “bonita” nas redes sociais. Esse tipo de atitude nada mais que uma necessidade de não só se destacar na multidão como também criar um sentimento de pertencer a um certo grupo, outras pessoas ao verem sua imagem associada ao produto de marcar que você acabou de comprar irão automaticamente ou te colocar em um outro patamar caso eles mesmas não possam comprar aquele bem ou então irão acolher você caso também sejam consumidoras da mesma marcar, tipo um clubinho exclusivo. O consumo de artigos de luxo é com certeza um ponto crucial na sua caminhada em busca da Independência Financeira, uma vez que o céu é o limite para o quanto uma pessoas pode gastar para impressionar os outros. Ao libertar-se das amarras que a indústria dos produtos de luxo criou você automaticamente estará poupando uma quantidade enorme de dinheiro, para isso é importante perceber que 90% do valor de um produto de marcar está simplesmente associado ao “status” que ele pode trazer e não necessariamente irá se refletir na qualidade ou utilidade do mesmo, mas uma vez é preciso colocar o racional para funcionar.


   Uma vida dominada pelo materialismo pode parecer atrativa em um primeiro momento, quem não gostaria de desfilar por aí com carro zero, roupas de marca, celular último modelo, jóias e acessórios? Com certeza isso poderia lhe trazer benéficos imediatos tais como ser mais respeitado, mais bem tratado e até mesmo mais admirado pelo sexo oposto… mas tudo isso a que custo? Se você não é um bilionário e esse estilo de vida não representa somente uma fração dos seus rendimentos, então posso afirmar com certeza que estamos falando de alguém aprisionado à corrida dos ratos onde na melhor das hipóteses a pessoa apesar de ter um bom salário (que a permite adquirir todos esses artigos de luxo) ainda sim irá trabalhar a vida toda sem acumular um centavo, e mesmo "correndo, correndo e correndo" nunca sairá do lugar…



   O materialismo fica ainda mais assustador quando o colocamos sob a ótica do tempo que gastamos para comprar um produto, imagine que você tenha que trabalhar um ano para juntar dinheiro suficiente para comprar aquele carro de luxo. Um ano inteiro acordando cedo, indo e vindo no trânsito infernal da cidade, aguentando ordens de um chefe mala e repetindo isso 5 à 6 vezes por semana. Se isso parece razoável para você a conta não para por aí, esse mesmo dinheiro ao deixar de ser investido irá representar lá na frente não só um ano de trabalho mas talvez 3 ou até mesmo 5 anos de trabalho dependendo do valor do veículo, aí eu pergunto novamente… 5 anos da sua vida valem mesmo esse sonhado carro?


   Mais uma vez quero deixar claro que não tenho nada contra alguém que tem condições financeiras gastar fortunas em artigos de luxo. Mas infelizmente não é isso que vemos por aí, a maioria absoluta de nós não só não tem condições de realizar tal tipo de consumo mas também usa de artifícios como parcelamentos para poder comprar coisas que não precisa, com dinheiro que não tem, para impressionar pessoas de quem não gostam. Não caia nessa armadilha, se você é classe média como eu não tente parecer rico, liberte-se das amarras do consumismo e construa um patrimônio. Seu futuro agradece!


Sr.IF

Comentários