Novembro/2019: R$4.292.835,04 (+1,52%) | Renda Passiva R$17.290,74 | FIRE: mês 10

Patrimônio: R$4.292.835,04 (USD$1.015.815,20)
Renda Passiva: R$17.290,74
Gastos: R$ 13.561,19
Rendimentos do Mês Anterior vs Gastos: (+) R$4.180,00
Dívidas: (-) R$ 5.746,37
Fundo Tio Patinhas: (+) R$34.060,27


   Que dólar é esse? Será que veio para ficar? Vai continuar subindo? Essas foram algumas das muitas perguntas que vieram à minha cabeça ao longo do mês de novembro. Por mais que eu queira não pensar sobre os altos e baixos que a nossa moeda sofre de tempos em tempos ainda sim é impossível não deixar de imaginar como tudo isso irá afetar minha vida caso os planos de me mudar para Portugal realmente venham a se concretizar.




   PATRIMÔNIO vs INFLAÇÃO e DÓLAR


   Novembro foi mais um mês de crescimento patrimonial e que só não foi melhor por conta do forte recuo no valor do Tesouro IPCA 2050, acho que o mercado continua não botando fé que o Brasil se tornará definitivamente o país dos juros baixos. A redução no valor desses títulos foi expressiva porém compensada pela forte alta dos investimentos em dólar e dos FIIs, sendo assim fechei com um patrimônio total de R$4.292.835,04. Alta de 1,52% que equivale à R$64.132,48.

   Já o IPCA continua lá em baixo e minha vantagem frente á inflação só aumenta e bateu em R$386.055,66.







   A alta sem fim do mercado brasileiro me permitiu manter o status de milionário americano mesmo com o dólar atingindo topos nominais históricos, apesar disso o recuo do patrimônio em dólares foi grande e quase devolveu todos os ganhos dos últimos meses. Só em novembro o patrimônio em dólar se desvalorizou o equivalente à -$35.159,69 fechando em $1.015.815,20.





   ATIVOS E PASSIVOS

   Mesma carteira de sempre, destaque positivo para os FIIs que continuam subindo como um foguete e como não poderia deixar de ser para os investimentos em dólares, já o destaque negativo fica para o Tesouro IPCA 2050 que recuou bastante.

   O passivo do cartão de crédito voltou aos valores habituais depois da disparada por conta da viagem que fiz para o Chile.

   Abaixo o valor da minha carteira dividida por classe de ativos, para efeito de comparação o valo do mês anterior é apresentado entre parênteses:

Ações:  R$301.541,67 (R$312.088,87)
FIIs:  R$2.165.441,16 (R$2.095.116,18)
Tesouro IPCA2050: R$486.348,88 (R$507.759,54)
Investimentos no Exterior: R$518.202,80 (R$489.585,64)
Imóvel: R$ 750.000,00 (R$750.000,00)
Bitcoin:  R$33.050,45 (R$37.294,80)
CDB & Poupança: R$ 28.695,19 (R$ 36.137,97)
Conta Corrente: R$ 15.301,26 (R$ 14.131,56)
Dívida no Cartão: -R$ 5.746,37 (-R$ 13.539,98)

   TOTAL: R$4.292.835,04 / US$1.015.815,20 (R$4.228.702,56 / US$1.050.974,89)





   RENDA PASSIVA vs GASTOS

   A renda passiva desse mês era para ser fraca e praticamente a menor desde que passei a viver de renda, porém no último dia do mês quem salvou a pátria foram as ações da TAESA que pagam bons dividendos.

   No final a renda total para o mês de novembro foi de R$17.290,74 composta por:

Cupons Tesouro IPCA2050: R$1.367,87
Dividendos Ações: R$1.822,36
FIIs: R$11.200,79
Aluguel da casa: R$2.620,00
Dividendos no exterior: R$279,72

   TOTAL: R$17.290,74




   Eu juro que novembro era para ser um mês hiper econômico onde eu planejava dar uma revigorada no Fundo Tio Patinhas depois dele ter sofrido com os gastos da viagem para o Chile, na verdade eu imaginava que não gastaria mais que uns 6 mil reais porém a maré virou repentinamente já no primeiro dia do mês quando decidi fazer um churrasco para uns amigos mais próximos e acabei desembolsando uma bela grana em carne e bebidas, a ideia inicial era a gente rachar tudo mas fiquei sem graça de cobrar a conta no dia seguinte… Porém o que afundou o barco mesmo foi a decisão de dar início ao projeto de nos mudarmos para Portugal, entre honorários do escritório que irá tocar o processo, documentação, apostilamento e até uma viagem não planejada para Brasilia a fim de renovar o passaporte da Sra.IF foi gasto uma pequena fortuna que destruiu o orçamento do mês, na verdade já estou me dando por satisfeito de ter conseguido gastar menos do que recebi em renda passiva, no final das contas os gastos ficaram em R$ 13.561,19.

   Os maiores gastos do mês foram:
Visto para Portugal: R$4.136,07
Mesada Srta.IF (10% da renda passiva): R$1.774,11
Supermercado: R$1.376,85


   No mês anterior a renda passiva foi de (R$17.741,19), valor suficiente para cobrir o rombo no orçamento desse mês causado pelos gastos extraordinários, no fim das contas a balança ficou positiva em R$4.180,00. Confesso que foi um balde de água fria ver que só sobrou isso já que eu espera que fosse um mês econômico e que sobrasse uma boa grana para turbinar o Fundo Tio Patinhas.






   FUNDO TIO PATINHAS


   Como os gastos do mês anterior foram altos por causa da viagem para o Chile a minha regra de reinvestimento exigiu um valor bem maior do que o de costume, considerando ainda que não sobrou muita grana esse mês já que os gastos foram maiores que o normal então o Fundo Tio Patinhas vai receber pouco dinheiro em novembro:

   Renda passiva do mês anterior (R$17.741,19) - gastos do mês corrente (R$ 13.561,19) - reinvestimento requerido para compensar a inflação (R$ 1.099,78) = valor a ser depositado no Fundo Tio Patinhas (R$3.080,22). Com isso o fundo volta a subir e acumula R$34.060,27.

   Lembrando que eu alterei a fórmula utilizada para calcular o reinvestimento requerido para vencer a inflação, passei a utilizar o dobro do valor do IPCA acumulado dos últimos 12 meses.





   INVESTIMENTOS DO MÊS

   Os aportes do mês corrente foram bem similares aos do mês anterior e só reforcei minha posição em FIIs e reinvesti os dividendos recebidos no exterior lá fora mesmo:

INVESTIMENTOS REALIZADOS

   FIIs
VILG11= R$ 1.249,80

   Investimentos No Exterior
VGSH= R$260,80

   TOTAL (=) R$ 1.510,60



   SAÚDE

   A única coisa que subiu mais que o dólar esse mês foi meu peso, só nessa última semana em que viajamos para Brasília engordei 1kg devido à combinação da falta de exercício e total descontrole na alimentação (a começar pelo café da manhã nos hotéis), dessa forma fechei o mês pesando 83,1 kg contra 81,6kg do mês passado.




   VIDA PESSOAL

   Foi um mês dedicado à juntar os documentos necessários para dar entrada no processo migratório para Portugal, ainda é cedo para escrever um post sobre o assunto mas fiquem tranquilos que assim que tudo se desenrolar eu explico direitinho como tudo aconteceu. Mas basicamente esbarrei em uma barreira intransponível que é a apresentação do imposto de renda, infelizmente só poderei preencher a declaração de re-entrada no país em meados de março (já que em 2018 eu ainda morava fora) e até lá apenas adiantarei alguns requisitos tais como abrir conta em Portugal… enfim, ficaremos em compasso de espera por mais alguns mês e apesar da ansiedade não tem muito oque possa ser feito. Aproveitamos a vida FIRE para ir de carro até Brasília renovar antecipadamente o passaporte da Sra.IF e apesar da viagem cansativa ficou bem mais barato do que ir de avião... além de que apesar da correria ela conheceu um pouco mais do nosso país. Fiz as contas aqui e só para fazer um bate volta de avião nos custaria R$4.600 em passagens aéreas, já de carro gastamos R$1.600 contando gasolina, pedágios e hotéis (5 dias de viagem)... nesse caso realmente a liberdade FIRE economizou uma bela grana!rs



Sr.IF

Comentários