A arte de saber esperar...

   Passada a agitação das festas de final de ano o começo de janeiro é sempre mais parado em todos os sentidos, como já é de costume o Brasil só volta a funcionar depois do carnaval!rs E foi justamente esse marasmo que me inspirou a escrever esse post, poucas coisas me incomodam tanto quanto me ver estagnado em uma situação que só o passar do tempo pode resolver. Desde que o plano de morar em Bali morreu na praia voltei ao Brasil cheio de coisas para resolver, quando digo coisas para resolver estou falando da legalização da Sra.IF no país, foi um período extremamente frustrante onde por mais que eu estivesse disposto e com tempo para resolver tudo rapidamente a burocracia e os prazos exigidos criaram barreiras que só mesmo com muita paciência seria possível supera-las. Coisas do tipo levar 3 meses para emitir um simples RG de estrangeiro me tirava o sono e atrasava todo um processo para poder abrir conta em banco por exemplo, essa ineficiência me causa uma angustia absurda pelo simples fato do resultado não depender de mim… só esperando mesmo. E é nesses momentos que a mente vai a mil e começa a criar coisas mirabolantes para tentar desviar a minha atenção, exemplo disso foi a viagem para Chile que inventei só para fazer o tempo passar mais rápido enquanto eu esperava a emissão da certidão de casamento, sem ela não seria possível entrar com o processo de residência da Sra.IF, então para amenizar minha frustração decidi que uma viagem seria uma boa opção.

 

   Hoje mais uma vez me encontro em compasso de espera para poder dar entrada no processo do visto de residência para morar em Portugal, absolutamente tudo que podia ser feito até o momento já foi feito… tenho uma pastinha pronta com todos os documentos exigidos faltando apenas um pequeno detalhe, a declaração de IR que só poderá ser entregue em março. Até lá serão mais alguns meses de frustração pelo simples fato de que tudo que eu poderei fazer até lá é esperar… infelizmente minha personalidade não combina nada com “apenas esperar”, sempre precisei ver as coisas andando na direção de um objetivo. O pior de tudo é que quando eu coloco um objetivo na cabeça dificilmente consigo me distrair com outras coisas, toda a minha atenção passa a ser focada em coisas que irão me levar a atingir o tal objetivo traçado o mais rápido possível. Se por um lado essa característica sempre me ajudou profissionalmente já que empresas adoram eficiência, na vida real essa ansiedade me atrapalha e muito.


   Aí você vai dizer “ahhh Sr.IF para de encher o saco e vai fazer algo legal até março!”. Pois é meu caro leitor juro que estou tentando me desligar um pouco dessa possível mudança para Portugal, mas quando coloco algo na cabeça parece que tudo gira em torno desse objetivo… se vou assistir um pouco de Youtube acabo assistindo videos sobre como é a vida em Portugal, se penso em viajar para algum lugar no Brasil logo me bate o desânimo de desembolsar uma grana que pode fazer falta por lá, etc… Não adianta, sou o tipo de pessoa que não consegue se desligar facilmente de um projeto.


   Mas não é por falta de esforço, na próxima semana alugamos um Airbnb para passar uma semana em Ilhabela no litoral paulista e quem sabe me ajuda a desviar a atenção do projeto Portugal. Na verdade a ideia de ir passar uma semaninha por lá surgiu por outro motivo que anda me incomodando bastante que é voltar a morar na casa dos pais (fazer isso depois de adulto nunca dá certo) eu e a Sra.IF estamos bastante incomodados com a situação e essa viagem vai dar um fôlego para encarar o restante do mês. Se por um lado do ponto de vista financeiro ficar morando temporariamente na casa deles foi uma boa decisão eu não posso dizer o mesmo do ponto de vista pessoal, cada vez mais sinto que preciso ajeitar logo a minha vida com relação a moradia pois ficar nessa incerteza começa a pesar na minha relação com a Sra.IF…


   Tudo isso pode até parecer impaciência da minha parte mas depois de mais de duas décadas jogando tempo no lixo trabalhando feito doido agora estou ansioso para colocar qualquer que seja o projeto de vida em prática, infelizmente esses projetos esbarram sempre em burocracias que sem perceber já “comeram” mais de 8 meses da minha vida. Enquanto o período que passei na Austrália foi o ápice da minha aposentadoria antecipada o mesmo já não posso dizer do período que passei em Bali ou aqui no Brasil, não é por que tenho todo o tempo livre do mundo que eu vou querer gasta-lo resolvendo pepinos de cartório, embaixada e Receita Federal. Se eu parar para pensar 8 meses é um desperdício absurdo de tempo e que se não fossem os entraves do burocracia eu teria com certeza aproveitado bem mais, estou extremamente frustrado por estar com as mãos amarradas e sem poder fazer nada que antecipe de alguma forma a chegada da próxima etapa da minha vida. Enfim, tem sido um período muito frustrante nesse primeiro ano de IF…. reflexo disso é a diminuição dos números de postagens no blog e o desânimo para produzir novos podcasts. Por vezes eu até me animo a colocar a mão no bolso (ou melhor a mão no fundo Tio Patinhas que já soma 42 mil reias) para fazer uma viagem mais elaborada, mas quando encontro qualquer lugar mais interessante para conhecer descubro que irá exigir visto de turista para a Sra.IF e sem ter ela como dependente na minha declaração de IR fica praticamente impossível convencer uma embaixada americana ou europeia a nos conceder a autorização. “Então vai viajar pelo Brasil, Sr.IF!”…. eu vou, para Ilhabela.


Sr.IF

Comentários