Fechamento anual 2019...

Antes de escrever esse fechamento anual dei uma passadinha no post que publiquei em 31 de dezembro de 2018 onde fiz um balanço do ano que estava terminando e notei que na época dei bastante ênfase a dois sustos que levei ao analisar os números, o primeiro susto foi “nossa quanto dinheiro entrou!” e o segundo “p%t@ que p@r%u, como é que eu fui gastar tanto com isso?!?! E nesse primeiro ano de independência financeira e aposentadoria antecipada (FIRE) não foi diferente… ambos os sustos não só aconteceram novamente sendo que dessa vez de maneira até mais intensa que no ano anterior.





   Vou começar pela parte boa, lembra do post “Nunca na história desse país o Sr.IF ganhou tanto dinheiro... será mesmo?”… então, conforme já retifiquei no fechamento mensal de dezembro algo inesperado aconteceu nas últimas semanas do ano onde na reta final a carteira se valorizou de tal forma acabando que 2019 foi realmente o ano em que o Sr.IF mais ganhou dinheiro na vida. O crescimento patrimonial em moeda brasileira ficou próximo de 1 milhão de reais mesmo eu não tendo trabalhado um único dia sequer e ainda por cima arcando com todos os custos de moradia e saúde depois que deixei meu emprego. Esse crescimento todo aconteceu mesmo sem precisar contar com investimentos especulativos de alto risco do tipo Bitcoin, foram ganhos ao estilo “investidor a moda antiga” me limitando a colher os frutos de ativos convencionais como ações, FIIs, títulos públicos e dólar. Isso quer dizer que o Sr.IF é um gênio das finanças? É claro que não, se formos olhar mais de perto o resultado obtido em 2019 apesar de excepcional não é mágico considerando o tamanho da carteira, na verdade em termos de porcentagem esse não foi o maior crescimento patrimonial da minha história, essa honra fica para o ano de 2015 quando graças aos aportes volumosos o patrimônio cresceu 57,09%. Já em 2019 o crescimento ficou dentro da média de todos os outros anos fechando em 25,06% o que corresponde a exatos R$941.668,55. Mais uma vez um número impressionante para um ano em que vivi exclusivamente de renda. Se como dizem por aí que o sucesso do plano de viver de renda depende muito dos primeiros anos após a aposentadoria antecipada, posso afirmar que comecei com o pé direito.

   Vamos aos números:





  Uma segunda correção que eu preciso fazer no post “Nunca na história desse país o Sr.IF ganhou tanto dinheiro... será mesmo?” é com relação aos ganho em dólares, apesar dos números não serem tão impressionantes quanto aos valores em reais farei justiça e dizer que sim, 2019 foi um bom ano mesmo considerando a alta do dólar. Comecei lá em janeiro com um patrimônio equivalente a US$1.018.256,85 e terminei o ano com USD$1.126.312,52. Crescimento de 9,59% equivalente a USD$108.055,67… bem longe dos ganhos do S&P 500 que ficou próximo de 30% em 2019, cade a tal crise!?!?!rs


   Foi realmente um ano fora do normal, para conseguir perder dinheiro a pessoa teve que ser extremamente "competente"!rs Mas quero voltar a atenção ao que realmente interessa, a renda passiva. Enquanto crescimento patrimonial tenta roubar o show é a renda passiva que me permite viver a liberdade que a independência financeira pode proporcionar. Sem ela nada disso seria possível e por isso não quero fazer nenhum tipo de comparação injusta com a minha renda dos anos anteriores já que até então não passava de renda ativa. Se eu tivesse que resumir a renda obtida em 2019 em uma única frase seria “deu e sobrou”, mesmo no meio do turbilhão de gastos ocasionados pelas mudanças constantes de país, viagens e burocracia para casar ainda sim deu e sobrou. No total recebi R$ 220.497,82 ao longo dos 12 meses o que dá uma média de R$ 18.374,82 por mês, eu quero realmente crer que esse seja um valor digno que permita um casal sem filhos viver no Brasil ou mesmo em outra parte do mundo já que considerando a cotação do dólar e euro de hoje o meu "salário" mensal ficaria em torno de USD$4.500 ou €4.000 (essas horas me dá saudades da minha renda ativa de 12 mil dólares!rs). Você que está lendo isso e mora no exterior me responda, dá ou não dá para morar aí com esse valor?


   Como sempre o segundo susto fica por conta do quanto a gente gasta por ano com coisas que nem imagina, comparando com os anos anteriores meus gastos subiram consideravelmente e isso não me espanta nenhum pouco uma vez que não só passeai a arcar com despesas que não tinha antes (moradia e saúde) como também banco uma segunda pessoa em minha vida. Mesmo assim felizmente os gastos não simplesmente dobraram depois que deixei o emprego e apenas subiram de forma coerente com a nova vida:


   Gastos anuais:
2017 - R$ 120.573,55
2018 - R$ 102.978,55
2019 - R$ 152.943,51



   Se fizermos as contas gastei em média por mês R$ 12.745,29, achei um valor bem elevado principalmente considerando que meu objetivo sempre foi viver com metade da renda passiva. A grande vilã de 2019 foi a viagem de mais de 2 meses que fiz para a Austrália (foi também a melhor parte desse primeiro ano de IF), ela com certeza puxou a média de forma considerável para cima.

   Para quem tiver curiosidade segue a lista completa dos gasto em 2019:

Moradia - R$ 27.855,85
Transporte -R$ 15.958,68
Viagens - R$ 15.186,94
Restaurantes - R$ 14.804,72
Supermercado - R$ 14.569,31
Mesada Sra.IF - R$ 13.271,46
Processo de vistos - R$ 10.511,69
Saúde - R$ 10.482,41
Presentes - R$ 6.658,24
Passagens Aéreas - R$ 6.243,36
Entretenimento - R$ 3.959,91
Diversos - R$ 2.437,24
Café - R$ 1.929,02
Festas e eventos - R$ 1.457,69
Doação - R$ 1.446,77
Acesso Internet - R$ 1.310,28
Hotel - R$ 999,34
Taxas - R$ 883,70
Álcool - R$ 846,59
Roupas - R$ 759,79
Site SrIF365 - R$ 518,76
Serviços de Internet - R$ 570,29
Lavanderia - R$ 200,57
Eletrônicos -180,90


   Se formos olhar apenas os itens que considero básicos (alimentação, moradia, saúde e transporte) a média mensal de gastos fica em R$ 6.965,82 e mais uma vez eu culpo o período que passei fora do país já que a média do custo de vida básico dos meses de julho em diante (quando voltei ao Brasil) é bem inferior a isso ficando em apenas R$ 4.583,40. Mas não só de custo básico de vida vive o Sr.IF…rs


   Como disse a pouco se eu fosse resumir a renda obtida em 2019 em uma única frase seria “deu e sobrou”, isso porque minha renda total foi de R$ 220.497,82 e os gastos R$ 152.943,51 resultando em um saldo positivo de R$67.554,31. Dá para notar que em 2019 consegui viver com 70% da minha renda passiva, valor bem maior que o meu objetivo inicial que era o de viver com aproximadamente 50% da renda obtida. Mas onde foram parar os 30% restantes? Parte desse valor virou reinvestimento obrigatório (para quem não sabe eu criei uma regrinha que consiste em investir o valor dos meus gastos multiplicado pelo dobro do IPCA, leia mais AQUI) e a outra parte foi parar no Fundo Tio Patinhas (esse é o dinheiro que costuma sobra mensalmente quando eu não gasto toda a renda passiva do mês anterior e fica guardado para ser utilizado com supérfluos).

   O reinvestimento obrigatório em 2019 foi de R$ 13.789,30 enquanto o Fundo Tio Patinhas termina o ano com R$42.397,44… vale sempre explicar que na prática eu acabo todos os meses reinvestindo bem mais que o valor do reinvestimento mínimo obrigatório e apesar disso o excedente é automaticamente considerando como Fundo Tio Patinhas dentro da planilha, então em 2019 na realidade eu reinvesti R$ 98.733,64 conforme a minha estratégia de investimentos que consiste em simplesmente manter as porcentagens predeterminas para cada tipo de ativo, em outras palavras meu patrimônio ideal é dividido da seguinte forma: 10% ações, 62% FIIs, 13% Tesouro IPCA2050 e 15% investimentos no exterior. Com esses parâmetros inseridos na planilha tudo que faço é comprar todos os meses aquele investimento que estiver mais longe do objetivo traçado, lembrando que eu não vendo nada para fazer rebalanceamento e por isso tento manter o equilíbrio do portfólio apenas através de novos aportes. A única exceção à regra é que por praticidade os dividendos obtidos no exterior são investidos por lá mesmo, de resto eu apenas identifico qual ativo ficou para trás e coloco uma graninha nele.


   No meio desse mar de números apenas uma coisa é certa, enquanto eu estiver gastando menos do que arrecado o sucesso da independência financeira e aposentadoria antecipada estará garantido. Eu apenas complico as coisas criando regrinhas aqui e outras ali por pura diversão. Que 2020 seja igual ou quem sabe até melhor que 2019, um ótimo início de ano para todos nós!


Sr.IF