A casa caiu, de novo...

   Se ainda faltava um prego no caixão dos meus planos de viver de renda em Portugal já posso dizer a vocês que não falta mais, nessa noite de sábado meu inquilino comunicou que desocupará o imóvel dentro dos próximos 30 dias. Ainda não sentamos para conversar mas fica óbvio que a crise deve ter atingido ele em cheio e provavelmente irá procurar algo mais em conta para morar.






   Pela segunda vez desde que comecei a alugar o imóvel verei a vacância ir de zero a 100% da noite para o dia, e ainda tem gente que prefere imóvel físico do que investimentos em FIIs. As perspectivas de reocupação do imóvel são as piores possíveis já que da última vez levou um ano para achar um novo inquilino, e naquela época nem estávamos em crise. Obviamente depois da desocupação terei que arcar com impostos e condomínio, penalizando ainda mais meu orçamento.


   Se até o começo do ano minha preocupação era onde iríamos morar em Portugal, em um espaço de poucas semanas tudo foi para os ares e hoje me vejo obrigado a não só desistir de morar fora do país como também engavetar a possibilidade de mudarmos para o litoral sul do Brasil. 

   Juro q não sei por que ainda fico insistindo em planejar  qualquer tipo de coisa para o futuro, preciso aprender a aceitar o que tenho hoje e deixar a coisa rolar naturalmente. Provavelmente eu e a Sra.IF iremos sair da situação provisória que estamos vivendo morando na casa dos meus pais e nos mudarmos para meu imóvel assim que o inquilino sair. Farei isso pele simples fato da casa estar localizada dentro de um condomínio fechado, nos  sentiremos assim mais seguros e tranquilos para reavaliar os próximos passos. Minha vontade é continuar a morar nele até conseguir um comprador, estou cansado de lidar com a instabilidade que é ter inquilinos entrando e saindo ano após ano.


   Enfim, cada vez mais me vejo amarrado à não só a vida aqui no Brasil, como também na minha cidade. Começo a achar que aquela frase polêmica proferida pela Sra.IF quando deixei meu emprego é realmente verdadeira, “daqui pra frente é ladeira a baixo”.


Sr.IF